O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player


O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

 

Economia


 

 

CNC prevê queda do PIB de 1% em 2015

A Confederação Nacional do Comércio (CNC) projeta para 2015 queda no PIB de 1%. A queda deve se verificar devido baixos níveis de confiança, associados à deterioração das condições de consumo e investimentos. A economia brasileira cresceu 0,1% em 2014, na comparação com o ano anterior. O PIB fechou o ano em R$ 5,52 trilhões, segundo dados divulgados pelo IBGE.

O comércio no PIB teve queda de 1,8% em 2014. Essa é a primeira queda desde 2009 (-2,4%), quando o Brasil ainda se ressentia dos efeitos da última grande crise financeira internacional, segundo a CNC. De acordo com a CNC, a indústria deve cair este ano 2,4%. Os serviços, conforme a entidade, deve ter redução de 0,2%. O volume de vendas do comércio varejista teve alta de 2,2% – o pior resultado desde 2003, quando houve queda de 3,7%.

“Comparado ao trimestre imediatamente anterior, o PIB da atividade comercial caiu pelo terceiro trimestre consecutivo, registrando variação de -2,9% – o pior desempenho de todos os setores discriminados pelas contas nacionais”, disse o economista da CNC, Fabio Bentes. Dos três grandes setores econômicos, o maior destaque foi o setor de serviços, que responde por 71% do valor adicionado, registrando expansão de 0,7%. No entanto, o avanço do setor terciário foi o pior resultado da nova série histórica das contas nacionais recalculada a partir de 1996.

A agropecuária registrou crescimento mais tímido, equivalente a 0,4%, principalmente considerando-se seu desempenho em 2013, quando alcançou crescimento de 7,9%. A indústria caiu 1,2%, fato ocorrido pela primeira vez em cinco anos (ABr).

 

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

 



Jornal Empresas & Negócios
Rua Boa Vista, 84 - 9º andar - cj. 909
01014-000 - Centro - São Paulo - SP
Tel.: (11) 3106-4171 Fax: (11) 3107-2570

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player