O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player


O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

 

Economia


 

Divulgação/Petrobras

Preços de commodities como petróleo, minério de ferro e soja continuarão em queda.

Comércio Exterior projeta queda nas exportações

A primeira revisão feita pela Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB) para a balança comercial em 2015 aponta queda de 4,3% para as exportações e redução de 9,8% para as importações. Os números estimados são US$ 215,360 bilhões para as vendas brasileiras no exterior, ante US$ 225,033 bilhões projetados para este ano. No caso das importações a revisão feita pela AEB projeta US$ 207,220 bilhões em 2015, ante US$ 229,615 bilhões esperados para este ano.

Com isso, a associação prevê um superávit de US$ 8,140 bilhões para a balança, no próximo ano, contra um déficit estimado para 2014 de US$ 4,582 bilhões. O presidente da AEB, José Augusto de Castro, disse que este ano está difícil fazer previsão para a balança comercial, especialmente sobre as importações. Segundo ele, embora as medidas governamentais, especialmente na área econômica, não tenham sido anunciadas, sabe-se que terão forte impacto sobre a economia e a importação.

Castro avaliou que a elevação da taxa de câmbio tornará os produtos nacionais exportados mais caros, reduzindo a demanda.

Com isso, deverá haver uma queda forte das importações, que vai gerar um superávit na balança qualificado por José Augusto de Castro de negativo, porque “é obtido não por aumento de exportações, mas por queda de importações” (AE).

 

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

 



Jornal Empresas & Negócios
Rua Boa Vista, 84 - 9º andar - cj. 909
01014-000 - Centro - São Paulo - SP
Tel.: (11) 3106-4171 Fax: (11) 3107-2570

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player