Um milhão de indígenas brasileiros buscam alternativas para sobreviver

Há, no Brasil, cerca de 1 milhão de indígenas de mais de 250 etnias distintas vivendo em 13,8% do território nacional

 Um milhao 2 temproario

Em diversas regiões, os índios estão produzindo visando à comercialização de seus produtos.

Pedro Peduzzi/Agência Brasil

Em meio às ameaças de violência, riscos de perda de direitos em decorrência da pressão dos latifundiários, mineradoras e usinas, alguns povos indígenas lutam por mais autonomia, tentando conquistar, com a comercialização de seus produtos e com o turismo, alternativas para diminuir a dependência dos recursos cada vez mais escassos da Funai. Segundo especialistas consultados, estes são alguns dos principais desafios lembrados ontem, 19 de abril – o Dia do Índio.

Para serem bem-sucedidos, nessa empreitada visando a venda de suas produções e a exploração dos recursos naturais das terras indígenas (TIs), os povos indígenas têm como desafio buscar maior representatividade no Congresso, uma vez que cabe ao Legislativo Federal criar políticas específicas que deem segurança jurídica para que eles consigam o desenvolvimento financeiro do qual sempre foram excluídos.Um milhao 1 temproario

Alguns povos indígenas que tiveram suas terras homologadas têm conseguido bons resultados por meio da comercialização de seus produtos. Levantamento apresentado pelo Instituto Socioambiental (ISA) aponta que, somente na safra 2017/2018, índios da etnia Kaiapó, do Pará, obtiveram cerca de R$ 1 milhão com a venda de 200 toneladas de castanha. Outros R$ 39 mil foram obtidos com a venda de sementes de cumaru, planta utilizada para a fabricação de medicamentos, aromas, bem como para indústria madeireira.

Um milhao 3 temproarioA castanha rendeu aos Xipaya e Kuruaya, no Pará, R$ 450 mil, dinheiro obtido com a venda de 90 toneladas do produto. Cerca de 6 mil peças de artesanato oriundo das Terras Indígenas do Alto e do Médio Rio Negro renderam R$ 250 mil aos índios da região. Já os indígenas da TI Yanomami (Roraima e Amazonas) tiveram uma receita de R$ 77 mil com a venda de 253 quilos de cogumelos. Os exemplos de produções financeiramente bem-sucedidas abrangem também os Baniwa (AM), que venderam 2.183 potes de pimenta, que renderam R$ 46,3 mil. As 16 etnias que vivem no Parque do Xingu obtiveram R$ 28,5 mil com a venda de 459 quilos de mel.

Segundo a Funai, cabe aos indígenas a escolha do modelo de desenvolvimento a ser adotado. Em diversas regiões, os índios estão produzindo visando à comercialização de seus produtos ou mesmo serviços, como o turismo ecológico. Essas experiências mostram que a extração sustentável, a comercialização de produtos e o turismo podem ajudar a ampliar o desenvolvimento das Terras Indígenas.

Para o antropólogo e professor da UnB, Stephen Baines, os indígenas são preteridos na relação com os empresários e donos de terras. “Há uma desproporção absurda no Legislativo brasileiro a favor daqueles que querem o retrocesso dos direitos dos povos indígenas, previstos na Constituição de 1988 e na legislação internacional. “Temos um Congresso extremamente conservador que representa – por meio de parlamentares ligados à bancada ruralista, ao agronegócio, às empresas de mineração e aos consórcios de mineração e de usinas hidrelétricas – a maior ameaça e o maior ataque aos direitos dos povos indígenas", afirmou

Segundo Baines, é difícil para os índios planejar grandes voos do ponto de vista de recursos, sem que, antes, seja resolvida a questão da gestão territorial, o que inclui a segurança jurídica que só é possível a eles após terem suas terras demarcadas e homologadas. Para Baines, a violência contra os índios ainda é intensa em várias comunidades, como nos estados do Pará, Mato Grosso e Roraima. “São ameaças contra os índios, feitas por latifundiários, empresas e pelos capangas, que matam lideranças locais que lutam pelos seus direitos. Quer saber onde os índios correm mais riscos? Basta olhar para as terras indígenas que estão próximas a latifúndios”, disse.

O integrante da Frente Parlamentar da Agropecuária e líder do PSDB na Câmara, deputado Nilson Leitão (MT), disse que "nenhum projeto" aprovado pelo Congresso traz prejuízos aos interesses dos indígenas. "Pode ir contra o interesse de intermediários, interventores ou organizações sociais, que dizem trabalhar para o índio. Nenhum deputado que eu conheço, que defenda o setor produtivo, trabalha contra o índio", disse. Para Leitão, o "verdadeiro parceiro do índio são os produtores. São vizinhos, moram na mesma localidade, têm as mesmas peculiaridades e colaboram um com o outro. Não existe conflito entre eles a não ser aqueles provocados por organizações sociais", disse.

Os diversos grupos indígenas apelam por mais mecanismos de segurança jurídica para o desenvolvimento e comercialização de seus produtos. “A segurança jurídica não pode ficar restrita a grandes grupos econômicos. Além de ter seus direitos respeitados e a liberdade para explorar as terras como acharem melhor, os indígenas precisam também de incentivos para produzir, respeitando seus próprios modos de produção”, argumentou Stephen Baines
Segundo o antropólogo, o conhecimento tradicional sobre a relação com o ambiente faz parte dos produtos indígenas e, ao mesmo tempo, valoriza a questão ambiental. “Não há dúvida de que o fato de serem feitos por indígenas dá ao produto um diferencial, por serem ecologicamente seguros. Inclusive há lojas na Europa que vendem produtos industrializados como sendo indígenas. Alguns até usam uma pequena quantidade de óleo de castanha kaiapó para associar a imagem do produto à ideia de produção sustentável em suas campanhas de marketing”.

Em menor escala, a forma de produção indígena é bastante diferente da exploração industrial, que, segundo ele, é desastrosa e provoca impactos ambientais irreversíveis. “Quando eles optam pela mineração, eles o fazem por meio de uma maneira própria de garimpagem em pequena escala. Extraem somente o necessário, pensando nas gerações futuras. Não querem empresas porque sabem que elas tiram tudo de uma vez, não deixando nada para o futuro”. Para Baines, é importante a adoção de cotas indígenas no ensino superior, como fez de forma pioneira a Universidade de Brasília (UnB). Em 2017, havia 67 alunos indígenas de 15 povos. Destes, 42 faziam graduação e 25 pós-graduação.Um milhao 4 temproario

O assessor parlamentar da Funai, Sebastião Terena, disse que as lideranças indígenas têm trabalhado também para ampliar a representatividade de índios na política brasileira nas eleições de 2018, em especial no Congresso Nacional. As dificuldades, no entanto, não são poucas. Na história do Parlamento brasileiro, o único indígena eleito foi Mário Juruna, em 1982, para a Câmara. Pelos dados de Terena, há apenas 117 vereadores indígenas cumprindo mandato em 25 unidades federativas, além de quatro prefeitos e um vice-prefeito.

O antropólogo Stephen Baines lamenta que apenas uma pequena minoria de parlamentares luta pelos direitos indígenas. “Em parte, isso se explica porque muito do dinheiro do agronegócio e das empresas e consórcios acaba sendo usado em campanhas eleitorais das bancadas contrárias aos povos indígenas. E muito provavelmente parte do financiamento vantajoso que é direcionado ao agronegócio acaba servindo também para financiar as campanhas dessa bancada que faz de tudo para inviabilizar candidaturas indígenas”, acrescentou.

Na avaliação de Baines, a data de ontem – Dia do Índio – é importante não só para o protagonismo indígena, mas também para chamar a atenção das pessoas interessadas na defesa dos direitos indígenas.

Mais artigos...

  1. Cuba elege 1º presidente após 60 anos de governo dos irmãos Castro
  2. Oito em cada dez brasileiros não se preparam para aposentadoria
  3. Vida de Adoniran Barbosa é tema de documentário
  4. Proximidade entre animais domésticos e silvestres traz riscos de doenças a humanos
  5. IBGE: ricos receberam 36 vezes acima do que ganharam os pobres em 2017
  6. Pesquisa revela que 58% dos brasileiros não se dedicam às próprias finanças
  7. Os mano e as mina na mira dos homi
  8. Maior virtuose do bandolim é lembrado no seu centenário
  9. Ferramenta auxilia na preparação tática de goleiros
  10. "Eu tenho um sonho!" - morte de Martin Luther King completou 50 anos e ex-assessor relembra lutas
  11. Multiculturalismo no futebol deve se expandir em seleções europeias
  12. Dia da Constituição comemorou avanços na cidadania desde a independência do Brasil
  13. Três anos depois de aprovada, Lei do Feminicídio tem avanços e desafios
  14. BC: Selic deve voltar a ter redução em maio e cortes se encerram em junho
  15. Em busca de um novo modelo de gestão para o uso da água
  16. Lei poderá dar segurança ao Farmácia Popular
  17. Acesso dos pobres à água só é possível com controle social, dizem especialistas
  18. Por que as mulheres “desapareceram” dos cursos de computação?
  19. Interiorização de venezuelanos para São Paulo e Manaus começa em abril
  20. Relatório da Unesco sobre água propõe soluções baseadas na natureza
  21. Veja quem luta contra quem no conflito na Síria
  22. Surto de febre amarela desafia vigilância de epidemias
  23. São Paulo, uma metrópole para poucos
  24. Mesmo com decisão do TST, governo não descarta privatização dos Correios
  25. Documento único estará disponível em julho
  26. Mulheres são donas de 31% de empresas nos Estados Unidos
  27. IBGE: mulheres ganham menos que homens mesmo sendo maioria com ensino superior
  28. Cadastro Positivo: Entenda o que é e quais são os reais benefícios ao consumidor
  29. CNI recomenda desburocratização, educação e pesquisa para indústria crescer
  30. Seu próximo negócio poderá ser de outro planeta
  31. Soluções sertanejas ajudam a vencer a seca no semiárido nordestino
  32. Pesquisador destaca papel da irrigação na sustentabilidade ambiental
  33. Laser infravermelho ajuda a combater gordura no fígado
  34. Leis não alteraram perfil dos caminhoneiros no Brasil, mostra estudo
  35. Técnicas de redução de ansiedade ajudam a acertar pênaltis
  36. Cremes dentais não resolvem sozinhos erosão dental e hipersensibilidade dos dentes
  37. Pesquisa diz que, de 69 milhões de casas, só 2,8% não têm TV no Brasil
  38. Hábitos alimentares deram nova identidade a japoneses na Amazônia
  39. Vitória antitabagista
  40. Desmatamento vai aquecer clima do planeta mais que o estimado
  41. Medida Provisória que altera reforma trabalhista ainda não começou a tramitar
  42. De Picasso a Chagall – Conheça o Carnaval retratado na arte
  43. Portela lembra na avenida os imigrantes judeus que se instalaram no Recife
  44. Beija-Flor fecha grupo especial com desfile sobre monstros e seus criadores
  45. União da Ilha desfila os sabores da culinária brasileira
  46. Na Marquês de Sapucaí, Imperatriz conta enredo dos 200 anos do Museu Nacional
  47. Haitianos são maioria entre os imigrantes no mercado formal brasileiro
  48. 60% das lesões no futebol atingem as coxas e joelhos
  49. Mídia representa pessoas em situação de rua de forma negativa
  50. Rap e jazz facilitam formação cultural e engajamento na escola
  51. Nova lei dá esperança a quem aguarda adoção
  52. Conheça 10 receitas 'italianas' que só existem no Brasil
  53. Brasileiros beneficiados pelo Daca vivem incerteza nos Estados Unidos
  54. Aumento de bilionários em 2017 poderia acabar com a extrema pobreza por 7 vezes
  55. Confira dez perguntas e curiosidades sobre a febre amarela
  56. Cai percepção de piora da economia entre comerciantes
  57. O escritor portenho Jorge Luis Borges continua dando o que falar
  58. Hepatite A: saiba como se pega o vírus, quais são os sintomas e tratamentos
  59. Queda da inflação beneficiou mais a classe de renda baixa, diz Ipea
  60. Psicanálise também tem lugar para pessoas em vulnerabilidade social
  61. Pesquisa identifica populações mais vulneráveis a transtornos mentais graves
  62. Promoções impulsionam comércio e vendas no varejo cresceram 0,7% em novembro
  63. Etanol brasileiro pode substituir 13,7% do petróleo consumido no mundo
  64. Eleições e Copa do Mundo devem afetar pauta de votações no Congresso
  65. Livro em tupi moderno busca fortalecer o idioma na Amazônia
  66. Retrospectiva/2017: Fim da recessão, queda de juros e da inflação marcaram a economia
  67. Retrospectiva/2017: O ano dos ataques cibernéticos
  68. Retrospectiva/2017: O ano em que o Brasil mostrou que se importa com a Amazônia
  69. Lado brasileiro de Itaipu também poderá ser reserva de biosfera da Unesco
  70. Simplificar para melhorar (e muito): a urgente Reforma Tributária
  71. Fake news e controle na internet são desafios para as eleições de 2018
  72. Condições de vida são mais baixas em áreas longe dos centros
  73. Bichos de pelúcia substituem animais de laboratório em aulas na USP
  74. IBGE: 50 milhões de brasileiros vivem na linha de pobreza
  75. Em 2015 sete municípios respondiam por 25% do PIB do país, mostra IBGE
  76. País ainda precisa avançar no combate ao racismo
  77. Com política eficiente, país pode reverter prazo para cumprir objetivos estipulados pela ONU
  78. 70 anos da maior descoberta arqueológica bíblica: Manuscritos do Mar Morto
  79. Bitcoin passa de US$ 13 mil e vira 'desejo de consumo'
  80. Pesquisa do IBGE mostra trabalho "invisível" feito em 2016 no país
  81. Divórcio demorou a chegar no Brasil
  82. Prédios públicos ficam vermelhos contra a aids
  83. Estudo resgata a história do Movimento do Custo de Vida
  84. Anabolizantes comprometem funcionalidade do “colesterol bom”
  85. Presença de árvores reduz casos de câncer de pulmão em idosos
  86. Proximidade do verão aciona alerta para desastres naturais
  87. Nova lei regula situação de estrangeiros no país
  88. SP e Prefeitura de Humaitá atendem ribeirinhos no Amazonas
  89. O desaparecimento de pessoas é um problema grave, que atinge milhares de famílias no Brasil
  90. Alimentos e cosméticos podem ter alerta sobre substância cancerígena_02
  91. OIT diz que há mais de 70 milhões de jovens desempregados no mundo
  92. Lixo no mar brasileiro vai de drogas a plástico
  93. Livro 'Vestígios da Memória' mostra a riqueza da arquitetura paulista
  94. Atenção dos pais pode reduzir risco de abuso de drogas na adolescência
  95. Reforma trabalhista entrou em vigor neste sábado com novas formas de contratação
  96. Alimentos e cosméticos podem ter alerta sobre substância cancerígena
  97. Dois anos depois, atingidos por barragem em Mariana ainda não foram indenizados
  98. População não entende rótulos, diz pesquisa
  99. Ética no esporte: uma poderosa ferramenta de formação de caráter
  100. Desafios para o cumprimento do Acordo de Paris
Mais Lidas