Mercado de trabalho dá sinais de recuperação no segundo trimestre

A Carta de Conjuntura, divulgada na última quinta-feira (14) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), sinaliza o surgimento de novo ânimo no mercado de trabalho, ou seja, evidencia que está começando a ocorrer uma reversão do cenário negativo no setor

Arquivo/ABr

A taxa de desemprego registrada no trimestre encerrado em julho teve queda de 12,8%, segundo o Ipea.

Alana Gandra/Agência Brasil

A economista do Ipea, Maria Andréia Parente, observou que o cenário do mercado de trabalho, que vinha piorando, deu uma “estacionada” há dois meses e agora, no segundo trimestre, começou a dar sinais de que está se recuperando. “De forma agregada, a gente viu uma taxa de desocupação caindo, combinando (com) um aumento da ocupação, porque até então você tinha que a ocupação começou a cair menos”. Já no último trimestre móvel até julho, apesar de a ocupação mostrar variação pequena (+0,2%), essa é a primeira variação positiva em dois anos, destacou Maria Andréia. “Então, já é um sinal”.

O aumento da ocupação está ocorrendo no mercado informal. Mas quando se olha o mercado formal, com carteira assinada, há indicativos que o quadro está também melhor. Segundo a economista, um indicativo disso é a redução do ritmo de demissões. “O mercado formal já está demitindo menos. Ele ainda não contrata no agregado. A população ocupada dele ainda está caindo, mas ele está reduzindo o ritmo de demissão”. A taxa de desemprego registrada no trimestre encerrado em julho teve queda de 12,8%.

Maria Andréia salientou que outro sinal positivo do mercado formal é dado pelo rendimento. A análise dos rendimentos por vínculo de ocupação mostra que está no mercado formal a maior alta de rendimentos (3,6%). Por isso, disse que o mercado formal está dando alguns indicativos de que está melhor agora do que no passado recente.

images 18 temproarioO desalento também caiu, embora com intensidade reduzida; mas já é um sinal positivo. A Carta de Conjuntura mostra que a parcela dos inativos desalentados que achavam que não conseguiriam emprego foi de 44,7% no segundo trimestre, número 2,5% menor que o observado no trimestre anterior. Isso indica aumento da esperança ou confiança em alcançar uma vaga.

”Nesse momento, mais importante do que a intensidade, é a mudança de direção. A taxa de ocupação recua pouco, mas já recua. A ocupação cresce pouco, mas já cresce. O desalento cai pouco, mas cai. Vinha em uma trajetória crescente. Cada vez era maior o número de pessoas que saiam do mercado porque achavam que não tinham condições de conseguir um emprego. O desalento cai no segundo trimestre”, explicou.

Desemprego
Maria Andréia Parente disse que o desemprego melhora em todas as regiões brasileiras. Quando se abrem os dados, verifica-se um comportamento difuso. No Sudeste, por exemplo, o desemprego é relativamente alto porque está contaminado pelo Rio de Janeiro. “Você vê que ele (desemprego) cai em todas as regiões, mas dentro de cada região tem alguns comportamentos difusos. O Rio de Janeiro é um dos poucos estados que não conseguem reduzir a taxa de desemprego. Pelo contrário. A cada trimestre que vem, nova alta de desemprego”. A taxa de desemprego no Rio de Janeiro evoluiu de 14,5% para 15,7%.

16-Foto-marcos-santos-jornal-da-usp-31 temproarioDe modo geral, a Carta de Conjuntura do Ipea analisa que o desemprego recuou no país em termos de regiões, de gênero, de escolaridade. Entre os mais jovens, a taxa de desocupação também recuou. Entretanto, mesmo recuando, a taxa de desocupação entre os jovens é a mais alta de todos os grupos, apontou a economista. Os mais jovens formam a população que tem mais dificuldade de sair do desemprego e de conseguir uma nova colocação. “E esse percentual tem aumentado”.

Quando se olha os jovens que estão ocupados, esse é o grupo que apresenta maior chance de ser demitido. Proporcionalmente, os jovens formam a maior parcela dos trabalhadores que estão ocupados e foram demitidos, disse Maria Andréia. Dos desempregados na faixa etária de 18 a 24 anos de idade, somente 25% conseguiram nova colocação no segundo trimestre. Entre 2012 e 2017, o percentual de trabalhadores com 18 a 24 anos que foram dispensados cresceu de 5,3% para 7,3%, revela o estudo do Ipea. “Era muito mais fácil um jovem conseguir um emprego em 2012 do que é hoje”, comentou. No segundo trimestre de 2017, o país tinha cerca de 13,5 milhões de desocupados, dos quais 65% com idade inferior a 40 anos.


Remuneração

Houve melhora em termos de remuneração, à exceção dos mais jovens, ressaltou Maria Andréia. Esse é o único grupo que, na comparação entre o segundo trimestre deste ano e o mesmo período do ano passado, não mostra crescimento. Na verdade, apresenta pequena queda de salário (-0,5%). No caso dos maiores de 60 anos de idade, houve expansão de 14% no rendimento em relação ao segundo trimestre de 2016, com remuneração média de R$ 2.881.

As pessoas com maior qualificação recebem mais. A média no último trimestre foi remuneração de R$ 4.889, o que significa quase três vezes mais que o trabalhador com ensino médio e 4,2 vezes mais que o empregado sem o ensino fundamental completo.

Setores
A recuperação do emprego está ocorrendo em todos os setores da economia. De maneira geral, indústria, comércio e serviços mostram desempenho melhor do que estavam no último trimestre. Os três setores geraram, respectivamente, 12,3 mil, 10,2 mil e 7,7 mil novos postos com carteira assinada.

A exceção é vista em alguns segmentos, como a construção civil, devido ao estoque grande de imóveis e à vacância também significativa. Além disso, a economista do Ipea lembrou que na parte pública, o governo tem poucos recursos para investir em obras, devido ao esforço de equilíbrio fiscal. “Vai demorar um pouco mais de tempo para poder melhorar”.

Mais artigos...

  1. Cientistas dizem que furacões como o Irma são evidência de aquecimento global
  2. Programa Identidade Jovem enfrenta baixa adesão e resistência dos empresários
  3. Crescimento de ataques virtuais acende alerta sobre suicídio
  4. Na Georgia, brasileiros criam rede de apoio e acolhem mais de 300 pessoas
  5. O Império do Brasil
  6. Cabelos fracos, quebradiços e com queda? A solução pode estar no cardápio
  7. Microplásticos ameaçam 529 espécies da fauna marinha em todo o mundo
  8. Enade: matrículas em instituições públicas crescem e rede privada tem redução
  9. Pesquisadores descrevem 381 novas espécies de animais e plantas da Amazônia
  10. Direito à saúde bucal pode virar lei
  11. Casa da Moeda: Economistas não acreditam que privatização traga risco de fraude
  12. Taxa de feminicídios no Brasil é a quinta maior do mundo
  13. Travessia longa até um trânsito civilizado no país
  14. Intestino preguiçoso: saiba quais alimentos consumir para evitar esse mal e ter uma vida saudável
  15. Cerca de 58% dos alunos da rede pública têm rendimento abaixo da média em matemática
  16. Pelo terceiro ano seguido, desemprego é a principal causa da inadimplência, mostra levantamento do SPC Brasil e CNDL
  17. De concurso de miss a maternidade, cadeirantes contam como resgataram autoestima
  18. Verba de multas poderá ir para o trânsito
  19. Como seria uma guerra entre EUA e Coreia do Norte?
  20. Fundo Amazônia vai investir R$ 150 milhões em novos projetos de conservação
  21. Duração de licença-paternidade reforça desigualdade na criação dos filhos
  22. Há 80 anos, União Nacional dos Estudantes faz história no país
  23. Barriga tanquinho: regra 80/20 é o segredo para conquistar e manter o abdômen definido
  24. Estudo mostra que o uso de etanol nos veículos reduz a poluição por nanopartículas
  25. Aleitamento materno ainda enfrenta obstáculos
  26. Segurança pública: solução depende de participação social
  27. “Memórias Póstumas de Brás Cubas” observa a condição humana
  28. Do sertão à ‘selva’ paulistana, o rito de passagem dos pankararu
  29. Dieta pós 40: veja o que deve mudar no cardápio para garantir vigor durante a meia idade
  30. Uerj pesquisa influência da atividade física das mães na obesidade dos filhos
  31. A desigualdade “racial” nas eleições
  32. Pediatras lançam guia para promover atividade física a criança e adolescente
  33. Sem aumento do PIS/Cofins, governo perde R$ 78 milhões por dia, diz AGU
  34. Pesquisa diz que a cada 16,8 segundos uma tentativa de fraude é aplicada no país
  35. O ano de 2016 bateu um novo recorde de deslocamentos forçados - Quais países mais geram refugiados pelo mundo?
  36. Pesquisa revela como o exercício físico protege o coração
  37. Laerte: heroína trans ou homem vestido de mulher?
  38. Declínio de Temer no exterior ajuda Macri a projetar Argentina
  39. O mundo, para as crianças, é a sua comunidade
  40. Misto de sentimentos marca saída dos militares brasileiros do Haiti
  41. Desemprego e informalidade assolam mulheres da América Latina
  42. Automedicação pode ter graves consequências
  43. Lei de Cotas em concurso é julgada constitucional, mas ainda motiva ações
  44. Migração: nova lei assegura direitos e combate a discriminação
  45. Grande São Paulo precisa controlar a emissão dos veículos a diesel
  46. O perfil dos corredores de rua amadores
  47. Há 100 anos, greve geral parou São Paulo
  48. Desvendando o cártamo: o que esse óleo pode fazer por sua dieta?
  49. Expectativa de vida de transexuais é de 35 anos, metade da média nacional
  50. Dalva de Oliveira
  51. Sem espaço adequado, Câmara guarda 1,2 mil obras de arte longe do público
  52. Doenças do inverno: Como fortalecer a alimentação e afastar os males típicos dessa época
  53. São Paulo precisa redescobrir a relação com seus rios
  54. Intervenções na Amazônia maquiam problemas, aponta pesquisador
  55. Plano Nacional de Educação completa três anos com apenas 20% das metas cumpridas
  56. Ao completar 9 anos, Lei Seca não impede que motoristas dirijam alcoolizados
  57. COOs e CTOs: corram para as montanhas!
  58. Crianças com microcefalia têm atendimento especializado
  59. Cruz Vermelha alerta para retorno da guerra urbana no Oriente Médio
  60. O que você come à noite pode atrapalhar o emagrecimento?
  61. Brasil registra aumento de trabalho infantil entre crianças de 5 a 9 anos
  62. Senado do Império estudou transposição do Rio São Francisco
  63. Projeto reacende debate sobre alimentos transgênicos
  64. Lei cria documento único de identificação nacional
  65. Pesquisa e desenvolvimento são principais ferramentas para eficiência energética
  66. Cidades costeiras são mais vulneráveis a mudanças do clima
  67. As empresas precisam “sair do armário”
  68. Eleitores jovens se afastam da democracia tradicional
  69. Brasil poderá ter evento nacional destinado à prevenção do suicídio
  70. Brasil reduz mortalidade materna, mas continua longe do ideal, diz especialista
  71. Consumo excessivo de álcool na balada expõe homens e mulheres a riscos diferentes
  72. Conheça as regras para adotar uma criança no Brasil
  73. Ciclovias em expansão influenciam mercado imobiliário de São Paulo
  74. Em dias de intolerância, pesquisadores destacam valor das mensagens de Gentileza
  75. O fim do carro próprio?
  76. Congresso avalia projetos para atender configurações familiares modernas
  77. BGE: 123 milhões de jovens com 15 anos ou mais não praticam esporte no Brasil
  78. Metabolismo lento: como identificar e reverter o problema que pode prejudicar a perda de peso
  79. Temer nega ampliação da faixa de isenção do Imposto de Renda
  80. Sinal verde para o emagrecimento: combine chá e café para turbinar a queima de gordura
  81. Tese revela luta das brasileiras por direitos civis e trabalhistas
  82. Estudo investiga como vida conjugal influencia carreira feminina
  83. Maio Amarelo quer reduzir acidentes e vítimas de trânsito
  84. Reposição de vitaminas na terceira idade: o que é fundamental para manter o vigor e garantir mais saúde?
  85. Dorival Caymmi, a pedra que ronca no meio do mar
  86. Em São Paulo, 97,8% dos idosos não conseguem atravessar a rua no tempo dos semáforos
  87. Direito do preso de trabalhar é realidade só para minoria
  88. 10 alimentos para aliviar os sintomas do estresse e da ansiedade
  89. Veja o que muda com a reforma trabalhista aprovada na Câmara
  90. Mulheres podem ter direito a escolher o alistamento militar
  91. Cardápio energizante: Como vencer o cansaço e a fraqueza causados pela má alimentação
  92. Um em cada dez estudantes no Brasil é vítima frequente de bullying
  93. Livros infantis ganham espaço no mercado brasileiro
  94. Pesquisas resgatam história genética de remanescentes de quilombos
  95. Gorduras do bem: Conheça os diferentes tipos de Ômega e saiba porque eles são itens obrigatórios no cardápio
  96. Direto da Amazônia, livro revela como a castanha-do-pará ganhou o mundo
  97. Modo de vida camponês ainda resiste entre pequenos agricultores
  98. São Paulo de Todos os Tempos e o sentido de respeito à cidade
  99. Reforma trabalhista recebe 844 emendas; relatório deve ser apresentado na quarta-feira
  100. Proposta proíbe concurso público exclusivo para cadastro de reserva