Cora Coralina é inspiração para artesãs e doceiras na Cidade de Goiás

“Minha vida.../Quebrando pedras/ e plantando flores./Entre pedras que me esmagavam/ Levantei a pedra rude/ dos meus versos”                                                                         

 Cora 2 temproario

Artesãs e doceiras da Associação Mulheres Coralinas.

Andreia Verdélio/Agência Brasil

Ao conhecer os versos de Cora Coralina, a artesã Ivana dos Passos Souza, de 50 anos, moradora da Cidade de Goiás, deu um resignificado à sua vida e fez da força da poetisa sua própria força.

“Quando a gente lê os livros e vê como foi a vida dela, o quanto foi uma mulher dinâmica, por tudo que ela passou, as dificuldades, e foi crescendo, acabamos vivendo um pouco do que ela viveu. Cora foi uma mulher muito forte e conseguia passar isso para o papel. Quando alguém está com algum problema, as mulheres conversam e vamos pegar a força de Cora, ela poderia ter desistido, mas continuou”, disse Ivana.

A artesã faz parte de um grupo de 50 mulheres da Associação Mulheres Coralinas que, em todo encontro, leem um poema de Cora Coralina e conversam sobre ele. Além de ser uma rede de apoio, por meio da associação elas agregam valor com a poesia de Cora ao artesanato que produzem. Ivana faz bolsas de tecido e consegue vender mais as que são bordadas com poemas da poetiza. “Se não tiver a frase, não vende.”

Diferente de Cora Coralina, que além dos versos encantava as pessoas com seus doces glaceados, Ivana não é “muito chegada a fazer doces”. Mas teve a oportunidade de aprender a fazer o alfenim, doce tradicional da Cidade de Goiás, na oficina de gastronomia oferecida pelo 20º Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica), ocorrido na última semana na cidade.

Hoje, apenas uma das antigas doceiras da cidade, dona Silvia Curado, sabe fazer o doce, que leva açúcar, limão e água, além do amido de milho ou polvilho, para dar liga. O culinarista regional Rafael Lino foi quem ensinou as cerca de 15 mulheres a produzir o alfenim.

Cora 3 temproarioRafael aprendeu a receita quando morava em Goiânia. É um doce melindroso de se preparar, que se come mais pela beleza que pelo sabor, segundo Rafael. “Ele tem que ser trabalhado rápido e requer certa criatividade artística. O alfenim é diferente, não pelo gosto, mas pelas artes”, disse, revelando que sabe moldar copos de leite e pombinhas de alfenim. É um doce de origem árabe, trazido pelos portugueses ao Brasil e seu nome significa "brancura".

Para o culinarista, o resgate que a associação faz, é, antes de tudo, de identidade. “São 

Cora 4 temproario

mulheres que, por uma circunstância ou outra da vida, tiveram que deixar o cargo de dona de casa e ir para mercado de trabalho. E fazer isso, depois dos 40, é difícil. Então, a associação diz: volte às suas origens que você vai conseguir o seu sustento”.

estudioso da culinária goiana conta que muitos dos doces feitos na Cidade de Goiás são reinvenção dos doces portugueses, como o famoso pastelinho. Mas alguns são criações locais, como o doce de melancia cristalizado e o limãozinho recheado com doce de leite. Segundo Lino, Goiás absorveu muito da culinária tropeira no jeito de produzir alimentos de fácil conservação. São três os tipos de doces secos feitos na cidade: as passas, os cristalizados e os glaçados. A técnica dos glaçados é muito antiga e seu aprimoramento se deve graças a Cora Coralina, que fazia esse tipo de doce.

 

 

Mulheres Coralinas

 Cora 5 temproario

Ebe Maria de Lima Siqueira, professora de literatura da Universidade Estadual de Goiás.

A professora de literatura Ebe Siqueira, da Universidade Estadual de Goiás (UEG), é a presidente da Associação Mulheres Coralinas, criada há dois anos. A entidade nasceu como projeto para o empoderamento de mulheres, como iniciativa de combate à violência. “Agressões de todo 

maxresdefault 12 06 2018 temproario

porte, inclusive essa violência simbólica que a maioria das mulheres vive”. A fonte inspiradora é Cora Coralina, justamente porque foi uma mulher que venceu muitos obstáculos em função do empreendedorismo “Poetisa e doceira, ela teve de romper estruturas arcaicas em cima dela, e fez isso com a força do trabalho”, afirmou Ebe.
A proposta da associação é resgatar as tradições da cidade. Na banca das Mulheres Coralinas, no Mercado Municipal, há doces e artesanatos de diversos tipos, tudo aliado aos versos de Cora. “É uma tentativa de fazer com que o capital cultural se converta em renda e prazer para essas artesãs”, disse. Segundo a professora, algumas mulheres também fazem parte de um projeto de vocalização da poesia de Cora, participam de oficinas na UEG e fazem apresentações públicas pela cidade.
Além da oficina de gastronomia, durante o Fica, a associação promoveu oficinas de artesanato e poesia e uma apresentação cultural de poesia. “Fazemos essa programação durante o Fica porque é um evento que ultrapassa a questão do cinema, é uma atividade que tenta resgatar tudo que temos de arte na cidade, com a possibilidade de fazer com que a cultura circule”, contou a professora Ebe. O Fica é uma realização da Secretaria de Educação, Cultura e Esporte, do governo de Goiás


.

Mais artigos...

  1. Ascensão e queda de José Bonifácio, o 'Patriarca da Independência'
  2. Brasil perdeu mais de 430 mil empregos na construção entre 2015 e 2016
  3. Desmatamento e ocupação desordenada ameaçam conservação do Cerrado
  4. Poluição sonora prejudica a saúde e preocupa especialistas
  5. Senado deve aprovar incentivo para combater cartéis
  6. Cade propõe medidas para reduzir preços dos combustíveis
  7. O Brasil ocupa o oitavo lugar no ranking de número de tabagistas no mundo
  8. Entenda a composição do preço da gasolina e do diesel no Brasil
  9. Guimarães Rosa é recriado em prosas, pinturas e bordados
  10. Verdades e mentiras sobre o Cadastro Positivo
  11. Estudo da USP mostra como o álcool em dose moderada protege o coração
  12. Brasil pretende atrair mão de obra estrangeira qualificada para o país
  13. Bossa nova completa 60 anos: conheça a história do gênero musical
  14. Saí da Igreja do Rosário, andei por São Paulo e tropecei na história
  15. País busca soluções para aumento de judicialização na saúde
  16. Divisão de tarefas domésticas ainda é desigual no Brasil
  17. Cuidar da saúde é principal motivação dos que se planejam para aposentadoria
  18. Economia brasileira ainda não sentiu efeitos da Copa 2018
  19. Senado e Câmara aprovaram Lei Áurea em apenas 5 dias
  20. Dimension Data e Cisco expandem tecnologia anticaça na África
  21. Proteção de dados ganha importância na política e economia no Brasil
  22. Mais de 80 mil brasileiros migraram para Portugal em busca de segurança
  23. A cinco meses das eleições, Câmara e Senado trabalham em ritmo lento
  24. Jornais noticiaram Esquadrão da Morte de acordo com clima político
  25. Famílias sonham com clínica-escola gratuita para autistas
  26. Senado avança na definição de código que defende contribuintes
  27. Livro explica o poder e a consolidação dos Estados Unidos
  28. Pediatras lançam campanha para elucidar mitos sobre saúde infantil
  29. Mais de 40% dos brasileiros até 14 anos vivem em situação de pobreza
  30. Um milhão de indígenas brasileiros buscam alternativas para sobreviver
  31. Cuba elege 1º presidente após 60 anos de governo dos irmãos Castro
  32. Oito em cada dez brasileiros não se preparam para aposentadoria
  33. Vida de Adoniran Barbosa é tema de documentário
  34. Proximidade entre animais domésticos e silvestres traz riscos de doenças a humanos
  35. IBGE: ricos receberam 36 vezes acima do que ganharam os pobres em 2017
  36. Pesquisa revela que 58% dos brasileiros não se dedicam às próprias finanças
  37. Os mano e as mina na mira dos homi
  38. Maior virtuose do bandolim é lembrado no seu centenário
  39. Ferramenta auxilia na preparação tática de goleiros
  40. "Eu tenho um sonho!" - morte de Martin Luther King completou 50 anos e ex-assessor relembra lutas
  41. Multiculturalismo no futebol deve se expandir em seleções europeias
  42. Dia da Constituição comemorou avanços na cidadania desde a independência do Brasil
  43. Três anos depois de aprovada, Lei do Feminicídio tem avanços e desafios
  44. BC: Selic deve voltar a ter redução em maio e cortes se encerram em junho
  45. Em busca de um novo modelo de gestão para o uso da água
  46. Lei poderá dar segurança ao Farmácia Popular
  47. Acesso dos pobres à água só é possível com controle social, dizem especialistas
  48. Por que as mulheres “desapareceram” dos cursos de computação?
  49. Interiorização de venezuelanos para São Paulo e Manaus começa em abril
  50. Relatório da Unesco sobre água propõe soluções baseadas na natureza
  51. Veja quem luta contra quem no conflito na Síria
  52. Surto de febre amarela desafia vigilância de epidemias
  53. São Paulo, uma metrópole para poucos
  54. Mesmo com decisão do TST, governo não descarta privatização dos Correios
  55. Documento único estará disponível em julho
  56. Mulheres são donas de 31% de empresas nos Estados Unidos
  57. IBGE: mulheres ganham menos que homens mesmo sendo maioria com ensino superior
  58. Cadastro Positivo: Entenda o que é e quais são os reais benefícios ao consumidor
  59. CNI recomenda desburocratização, educação e pesquisa para indústria crescer
  60. Seu próximo negócio poderá ser de outro planeta
  61. Soluções sertanejas ajudam a vencer a seca no semiárido nordestino
  62. Pesquisador destaca papel da irrigação na sustentabilidade ambiental
  63. Laser infravermelho ajuda a combater gordura no fígado
  64. Leis não alteraram perfil dos caminhoneiros no Brasil, mostra estudo
  65. Técnicas de redução de ansiedade ajudam a acertar pênaltis
  66. Cremes dentais não resolvem sozinhos erosão dental e hipersensibilidade dos dentes
  67. Pesquisa diz que, de 69 milhões de casas, só 2,8% não têm TV no Brasil
  68. Hábitos alimentares deram nova identidade a japoneses na Amazônia
  69. Vitória antitabagista
  70. Desmatamento vai aquecer clima do planeta mais que o estimado
  71. Medida Provisória que altera reforma trabalhista ainda não começou a tramitar
  72. De Picasso a Chagall – Conheça o Carnaval retratado na arte
  73. Portela lembra na avenida os imigrantes judeus que se instalaram no Recife
  74. Beija-Flor fecha grupo especial com desfile sobre monstros e seus criadores
  75. União da Ilha desfila os sabores da culinária brasileira
  76. Na Marquês de Sapucaí, Imperatriz conta enredo dos 200 anos do Museu Nacional
  77. Haitianos são maioria entre os imigrantes no mercado formal brasileiro
  78. 60% das lesões no futebol atingem as coxas e joelhos
  79. Mídia representa pessoas em situação de rua de forma negativa
  80. Rap e jazz facilitam formação cultural e engajamento na escola
  81. Nova lei dá esperança a quem aguarda adoção
  82. Conheça 10 receitas 'italianas' que só existem no Brasil
  83. Brasileiros beneficiados pelo Daca vivem incerteza nos Estados Unidos
  84. Aumento de bilionários em 2017 poderia acabar com a extrema pobreza por 7 vezes
  85. Confira dez perguntas e curiosidades sobre a febre amarela
  86. Cai percepção de piora da economia entre comerciantes
  87. O escritor portenho Jorge Luis Borges continua dando o que falar
  88. Hepatite A: saiba como se pega o vírus, quais são os sintomas e tratamentos
  89. Queda da inflação beneficiou mais a classe de renda baixa, diz Ipea
  90. Psicanálise também tem lugar para pessoas em vulnerabilidade social
  91. Pesquisa identifica populações mais vulneráveis a transtornos mentais graves
  92. Promoções impulsionam comércio e vendas no varejo cresceram 0,7% em novembro
  93. Etanol brasileiro pode substituir 13,7% do petróleo consumido no mundo
  94. Eleições e Copa do Mundo devem afetar pauta de votações no Congresso
  95. Livro em tupi moderno busca fortalecer o idioma na Amazônia
  96. Retrospectiva/2017: Fim da recessão, queda de juros e da inflação marcaram a economia
  97. Retrospectiva/2017: O ano dos ataques cibernéticos
  98. Retrospectiva/2017: O ano em que o Brasil mostrou que se importa com a Amazônia
  99. Lado brasileiro de Itaipu também poderá ser reserva de biosfera da Unesco
  100. Simplificar para melhorar (e muito): a urgente Reforma Tributária