Na Georgia, brasileiros criam rede de apoio e acolhem mais de 300 pessoas

Quem chegava do lado de fora da casa de Carolina Turker, na área metropolitana de Atlanta, no último domingo (10) pensava que lá dentro havia uma festa. Eram sete  carros estacionados na porta. O almoço dominical  virou uma confraternização entre brasileiros moradores da Flórida e da Georgia. Os brasileiros daqui acolheram mais de 300 compatriotas moradores do estado vizinho, que deixaram as casas devido à passagem do furacão Irma

Leandra Felipe/ABr

Anfitriões solidários e hóspedes se conheceram por causa do furacão Irma.

Leandra Felipe/Agência Brasil

Anfitriões e hóspedes têm em comum o fato de serem imigrantes e brasileiros nos Estados Unidos, mas só se conheceram pessoalmente nas últimas 48 ou 72 horas por causa do furacão. "Decidimos nos reunir e comer juntos", disse Carolina. Ela recebeu 15 pessoas em casa, brasileiros moradores da Flórida que receberam aviso de saída obrigatória antes da passagem do furacão.

No almoço, ela conheceu Cleidiane Burney, moradora de Brandnton, na Flórida, que chegou à Georgia no sábado (9). Cleidiane está hospedada na residência do casal Grace e Aguimar, que também abriram a casa para oito pessoas que vieram para o estado. Grace é amiga de Carolina e ambas resolveram juntar os novos conhecidos no almoço de domingo. Casada com um norte-americano, Cleidiane, que vive na Flórida desde 2001, já está bem adaptada à realidade da "temporada de furacões".

"Já passei por vários [furacões], mas foi a primeira vez que tive de deixar minha casa". O que chamou a atenção foi o tamanho do furacão. "Foi o maior que já passou por lá". Quando o governo deu ordem de saída obrigatória, ela e o marido resolveram que seria melhor deixar a casa.

Cleidiane Burney deixou a casa após o alerta do Irma e foi recebida na Georgia.Pelo Facebook
"Mas, àquela altura, já não havia hoteis disponíveis aqui perto de Atlanta. Somente no centro, mas todos caríssímos". Ela viu um post no Facebook de que famílias brasileiras em Atlanta estavam recebendo voluntariamente as pessoas que não tinham para onde ir. Mais de 5,6 milhões de pessoas da Flórida foram orientadas a deixar as casas. Muita gente escolheu a Georgia como destino, pela proximidade.

São estados fronteiriços, e a Georgia, apesar de também estar em estado de emergência pelo furacão Irma, o receberá com menos intensidade. A maior parte do estado não teve ordem de evacuação. "Eu não conhecia a familia que me hospedou, mas na hora da necessidade, viemos. E graças a Deus deu tudo certo aqui", contou Cleidiane, que veio com o marido e os três filhos, o mais novo um bebê de colo.

O casal Grace e Aguimar disse que é a primeira experiência de receber em casa pessoas que nem conheciam. Mas atenderam ao chamado de outros brasileiros que começaram a se mobilizar para hospedar gente vinda da Flórida. "Nós somos cristãos e resolvemos abrir a casa, pensando que seria hora de praticar a fé que a gente tem", contam.

Carlo Allegri/ReutersRede de mulheres
A hospedagem voluntária não foi planejada."Eu ia hospedar alguns amigos, mas aí outra família de amigos precisava de um lugar e eu pedi para as amigas daqui, e todos começaram a se envolver e oferecer as casas", contou Yascara Palma Tom. Ela diz que começaram a a aparecer mais pessoas interessadas em receber moradores da Flórida.

"Anunciamos no Facebook que queríamos ajudar a comunidade brasileira na Flórida e começamos a conectar as famílias que precisavam de hospedagem àquelas que queriam receber", conta Yascara, que é parte do Mulheres Brasileiras em Atlanta", um grupo no Facebook formado por moradoras da região. A rede de apoio, que começou informalmente, cresceu, ganhou página no Facebook e, além de conectar as pessoas, começou a receber doações de produtos alimentícios e de higiene para os recém-chegados.

A iniciativa delas acabou aglutinando diferentes grupos, que também estavam trabalhando para hospedar pessoas. Yascara conta que o padre perguntou se ela tinha contatos, porque precisava encontrar mais casas para hospedar pessoas. O mesmo ocorreu com o pastor de uma igreja, que já havia montado uma estrutura para várias pessoas em um acampamento.

"Eu fiquei muito emocionada de ver a solidariedade. A gente podia estar vendo televisão e só vendo o furacão destruindo tudo, mas resolvemos gastar energia ajudando quem precisa de ajuda agora", afirmou. Até mesmo algumas pessoas que chegaram e se hospedaram em hoteis estão procurando ajuda. "Os hoteis estão com preços muito caros. Ontem (11), um casal com uma criança de 2 anos vai deixar o hotel para se hospedar em casa brasileira", acrescentou.

Vulnerabilidade
Carolina Turker, que abriu a casa para o almoço de domingo, diz que está muito feliz de ter recebido as pessoas em casa. "Eu disse sim, mas fiquei com medo, porque era a primeira vez que eu fazia isso - ter alguém em casa que eu nunca tinha visto". Mas a experiência, segundo ela, tem sido boa. "Receber é melhor do que dar, e estou sentindo isso de maneira especial agora".

Carolina, que é uma das fundadoras do grupo Mulheres Brasileiras no Facebook, lembrou que uma questão importante é o fato de que vários dos que vieram se abrigar com ela são famílias de brasileiros que não estão em status regular e por isso têm medo de pedir ajuda. "Muitos que chegaram não têm documentos ou estão ilegais. Isso gera mais medo em uma situação em que todos já estão vulneráveis, enfrentando um furacão, que é uma força que a gente não controla".

Carolina disse que sua satisfação é ver que todos estão bem e que apesar dos desafios que virão pela frente, no pós-furacão, as famílias receberam alento e abrigo. "A gente se sente melhor de estar ajudando e vemos um lado bom da gente, que é poder ter empatia", conclui.

Irma perdeu força e se tornou tempestade tropical

Após causar muito estrago, o Irma perdeu força e virou uma tempesatade tropical.O furacão Irma foi rebaixado ontem (11) à categoria de tempestade tropical junto à costa oeste da Flórida, avançando rumo ao norte dos Estados Unidos, informou o Centro Nacional de Furacões dos EUA. Em seu boletim das 9h (horário de Brasília), o Centro disse que o Irma, que já tinha caído para categoria 1, apresentava ventos de até 120 quilômetros por hora, embora ainda produza rajadas quase tão fortes quanto às de furacão.

O fenômeno climático estava a cerca de 50 km de Cedar Key e se deslocava cerca de 30 km por hora rumo ao noroeste, uma trajetória que deve ser mantida. O Irma se move perto da costa noroeste da península da Flórida, cruzará o Panhandle, a área mais continental da península, e chegou ao sul da Geórgia durante a tarde de ontem. Durante a noite de ontem e a manhã de hoje, partiu rumo ao sudoeste da Geórgia e leste do Alabama.

O fenômeno ainda apresenta sequências fortes de vento, mas está previsto seu progressivo enfraquecimento, até que se torne uma depressão tropical. Entretanto, os ventos ainda são sentidos a 95 km do centro, especialmente na parte oeste, estendendo-se a até 665 km de distância. Segundo o último boletim do Escritório de Gestão de Desastres da Flórida, mais de 3,8 milhões de pessoas estão sem energia elétrica. As companhias fornecedoras, no entanto, dizem que esse número é maior (Agência EFE).

Mais artigos...

  1. O Império do Brasil
  2. Cabelos fracos, quebradiços e com queda? A solução pode estar no cardápio
  3. Microplásticos ameaçam 529 espécies da fauna marinha em todo o mundo
  4. Enade: matrículas em instituições públicas crescem e rede privada tem redução
  5. Pesquisadores descrevem 381 novas espécies de animais e plantas da Amazônia
  6. Direito à saúde bucal pode virar lei
  7. Casa da Moeda: Economistas não acreditam que privatização traga risco de fraude
  8. Taxa de feminicídios no Brasil é a quinta maior do mundo
  9. Travessia longa até um trânsito civilizado no país
  10. Intestino preguiçoso: saiba quais alimentos consumir para evitar esse mal e ter uma vida saudável
  11. Cerca de 58% dos alunos da rede pública têm rendimento abaixo da média em matemática
  12. Pelo terceiro ano seguido, desemprego é a principal causa da inadimplência, mostra levantamento do SPC Brasil e CNDL
  13. De concurso de miss a maternidade, cadeirantes contam como resgataram autoestima
  14. Verba de multas poderá ir para o trânsito
  15. Como seria uma guerra entre EUA e Coreia do Norte?
  16. Fundo Amazônia vai investir R$ 150 milhões em novos projetos de conservação
  17. Duração de licença-paternidade reforça desigualdade na criação dos filhos
  18. Há 80 anos, União Nacional dos Estudantes faz história no país
  19. Barriga tanquinho: regra 80/20 é o segredo para conquistar e manter o abdômen definido
  20. Estudo mostra que o uso de etanol nos veículos reduz a poluição por nanopartículas
  21. Aleitamento materno ainda enfrenta obstáculos
  22. Segurança pública: solução depende de participação social
  23. “Memórias Póstumas de Brás Cubas” observa a condição humana
  24. Do sertão à ‘selva’ paulistana, o rito de passagem dos pankararu
  25. Dieta pós 40: veja o que deve mudar no cardápio para garantir vigor durante a meia idade
  26. Uerj pesquisa influência da atividade física das mães na obesidade dos filhos
  27. A desigualdade “racial” nas eleições
  28. Pediatras lançam guia para promover atividade física a criança e adolescente
  29. Sem aumento do PIS/Cofins, governo perde R$ 78 milhões por dia, diz AGU
  30. Pesquisa diz que a cada 16,8 segundos uma tentativa de fraude é aplicada no país
  31. O ano de 2016 bateu um novo recorde de deslocamentos forçados - Quais países mais geram refugiados pelo mundo?
  32. Pesquisa revela como o exercício físico protege o coração
  33. Laerte: heroína trans ou homem vestido de mulher?
  34. Declínio de Temer no exterior ajuda Macri a projetar Argentina
  35. O mundo, para as crianças, é a sua comunidade
  36. Misto de sentimentos marca saída dos militares brasileiros do Haiti
  37. Desemprego e informalidade assolam mulheres da América Latina
  38. Automedicação pode ter graves consequências
  39. Lei de Cotas em concurso é julgada constitucional, mas ainda motiva ações
  40. Migração: nova lei assegura direitos e combate a discriminação
  41. Grande São Paulo precisa controlar a emissão dos veículos a diesel
  42. O perfil dos corredores de rua amadores
  43. Há 100 anos, greve geral parou São Paulo
  44. Desvendando o cártamo: o que esse óleo pode fazer por sua dieta?
  45. Expectativa de vida de transexuais é de 35 anos, metade da média nacional
  46. Dalva de Oliveira
  47. Sem espaço adequado, Câmara guarda 1,2 mil obras de arte longe do público
  48. Doenças do inverno: Como fortalecer a alimentação e afastar os males típicos dessa época
  49. São Paulo precisa redescobrir a relação com seus rios
  50. Intervenções na Amazônia maquiam problemas, aponta pesquisador
  51. Plano Nacional de Educação completa três anos com apenas 20% das metas cumpridas
  52. Ao completar 9 anos, Lei Seca não impede que motoristas dirijam alcoolizados
  53. COOs e CTOs: corram para as montanhas!
  54. Crianças com microcefalia têm atendimento especializado
  55. Cruz Vermelha alerta para retorno da guerra urbana no Oriente Médio
  56. O que você come à noite pode atrapalhar o emagrecimento?
  57. Brasil registra aumento de trabalho infantil entre crianças de 5 a 9 anos
  58. Senado do Império estudou transposição do Rio São Francisco
  59. Projeto reacende debate sobre alimentos transgênicos
  60. Lei cria documento único de identificação nacional
  61. Pesquisa e desenvolvimento são principais ferramentas para eficiência energética
  62. Cidades costeiras são mais vulneráveis a mudanças do clima
  63. As empresas precisam “sair do armário”
  64. Eleitores jovens se afastam da democracia tradicional
  65. Brasil poderá ter evento nacional destinado à prevenção do suicídio
  66. Brasil reduz mortalidade materna, mas continua longe do ideal, diz especialista
  67. Consumo excessivo de álcool na balada expõe homens e mulheres a riscos diferentes
  68. Conheça as regras para adotar uma criança no Brasil
  69. Ciclovias em expansão influenciam mercado imobiliário de São Paulo
  70. Em dias de intolerância, pesquisadores destacam valor das mensagens de Gentileza
  71. O fim do carro próprio?
  72. Congresso avalia projetos para atender configurações familiares modernas
  73. BGE: 123 milhões de jovens com 15 anos ou mais não praticam esporte no Brasil
  74. Metabolismo lento: como identificar e reverter o problema que pode prejudicar a perda de peso
  75. Temer nega ampliação da faixa de isenção do Imposto de Renda
  76. Sinal verde para o emagrecimento: combine chá e café para turbinar a queima de gordura
  77. Tese revela luta das brasileiras por direitos civis e trabalhistas
  78. Estudo investiga como vida conjugal influencia carreira feminina
  79. Maio Amarelo quer reduzir acidentes e vítimas de trânsito
  80. Reposição de vitaminas na terceira idade: o que é fundamental para manter o vigor e garantir mais saúde?
  81. Dorival Caymmi, a pedra que ronca no meio do mar
  82. Em São Paulo, 97,8% dos idosos não conseguem atravessar a rua no tempo dos semáforos
  83. Direito do preso de trabalhar é realidade só para minoria
  84. 10 alimentos para aliviar os sintomas do estresse e da ansiedade
  85. Veja o que muda com a reforma trabalhista aprovada na Câmara
  86. Mulheres podem ter direito a escolher o alistamento militar
  87. Cardápio energizante: Como vencer o cansaço e a fraqueza causados pela má alimentação
  88. Um em cada dez estudantes no Brasil é vítima frequente de bullying
  89. Livros infantis ganham espaço no mercado brasileiro
  90. Pesquisas resgatam história genética de remanescentes de quilombos
  91. Gorduras do bem: Conheça os diferentes tipos de Ômega e saiba porque eles são itens obrigatórios no cardápio
  92. Direto da Amazônia, livro revela como a castanha-do-pará ganhou o mundo
  93. Modo de vida camponês ainda resiste entre pequenos agricultores
  94. São Paulo de Todos os Tempos e o sentido de respeito à cidade
  95. Reforma trabalhista recebe 844 emendas; relatório deve ser apresentado na quarta-feira
  96. Proposta proíbe concurso público exclusivo para cadastro de reserva
  97. Há 40 anos, ditadura impunha Pacote de Abril e adiava abertura política
  98. Como a dívida pública afeta cada brasileiro
  99. Lanchinhos no trabalho: Quais substituições podem ajudar a evitar os deslizes da dieta
  100. Abelhas sem ferrão têm guardas especializadas para defender suas colmeias