Italianos confiam mais no Papa que na política

Italianos confiam mais no Papa que na política, diz pesquisa.

Uma pesquisa de opinião mostrou que os italianos relacionam o nome do papa Francisco à esperança e aos bons sentimentos, enquanto partidos e lideranças políticas são ao que é negativo

O levantamento feito pelo Demos-Coop, com 1.409 italianos, elaborou o “Mapa das Palavras 2017” e mostrou que tanto entre as pessoas como entre temas mais abrangentes, o Pontífice é muito respeitado pela grande maioria.
O estudo usou como metodologia uma ideia simples: citou 40 palavras e os entrevistados tinham que dar uma nota de 1 a 10 sobre o que sentiam em relação a elas, se era um sentimento positivo ou negativo. Em primeiro lugar, como palavras mais atuais positivas, está a frase “ambiente e energias renováveis”, seguida por “voluntariado”, “coração”, “meritocracia” e “Papa Francisco”. Na última posição nesse quesito aparece o termo “políticos”, seguido por “terrorismo”, “Trump” e “Partidos”.
Da posição 36ª a 29ª entre os negativos, aparecem uma série de figuras políticas e partidos. Beppe Grillo, líder do Movimento Cinco Estrelas (M5S), Silvio Berlusconi e sua sigla Força Itália, Liga Norte e seu presidente Matteo Salvini, M5S, Partido Democrático e o ex-premier Matteo Renzi ocupam os lugares menos “in” da pesquisa. Os pesquisadores também apontaram quais os sentimentos em relação ao futuro que as mesmas palavras representavam. Novamente, a frase “ambiente e energias renováveis” apareceu na 1ª colocação positiva, seguida por “trabalho” e “Papa Francisco”.
Apesar de terem recebido um percentual um pouco maior que na primeira votação, novamente entre os mais negativos, estão partidos políticos e seus expoentes. Grillo, Berlusconi, “partidos”, Força Itália, “políticos”, Renzi, M5S, PD e Renzi são os menos votados na categoria futuro. “As palavras são importantes. Servem para representar a realidade. Mas também para construi-la. Porque a realidade social não existe sem as nossas palavras”, dizem os especialistas que fizeram o estudo. Segundo o Demos-Coop, Jorge Mario Bergoglio é “a única pessoa capaz de suscitar paixão e esperança” no levantamento (ANSA).

Três em quatro elefantes são maltratados em turismo na Ásia

A maior parte desses animais é altamente explorada pelos seus donos.

Os turistas que em suas viagens a países da Ásia participam de atividades nas quais os elefantes são os protagonistas devem pensar em duas vezes antes de realizá-las. Segundo relatório da organização World Animal Protection divulgada nesta semana, a maior parte desses animais é altamente explorada pelos seus donos e tratada com crueldade.
A entidade de proteção dos animais examinou as condições de vida de cerca de 3 mil elefantes que “trabalham” em atividades turísticas de nações como Tailândia, Laos, Camboja, Nepal, Sri Lanka e Índia durante 2014 e 2016 e concluiu que três em quatro desses mamíferos vivem em condições “inaceitáveis”, sendo acorrentados dia e noite sem comida ou tratamentos adequados.
Como se não bastasse, os filhotes também são separados das suas mães e sofrem cruéis processos de adestramento para se tornarem dóceis e submissos durante os espetáculos ou o transporte de turistas. Dos países examinados, o pior deles é a Tailândia, que é responsável por três quartos de todos os elefantes em cativeiro para fins turísticos.
“Se é possível montar, abraçar ou interagir com um animal selvagem é provavelmente porque ele está sendo tratado com crueldade”, explicou o autor do relatório, Jan Schimidt-Burbach. A organização afirmou que a pesquisa tem como objetivo sensibilizar os turistas do assunto e tentar impedir que eles agendem ou participem dessas atividades. Ela também ressaltou que já conseguiu convencer 160 companhias de viagem a suspenderem a venda e a promoção desses pacotes (ANSA).

Penhor da Caixa movimenta R$ 7,2 bilhões no semestre

O número representa uma expansão de 11,3% em relação ao mesmo período do ano passado. Segundo o superintendente nacional de Pessoa Física da Caixa, Lessandro Werner Thomaz, o penhor é ideal para quem necessita de empréstimo rápido e fácil. "É uma linha de crédito sem burocracia, pois dispensa avaliação de risco de crédito".
A pessoa que possuir um bem confeccionado em ouro, prata, diamantes, pérolas, relógio ou canetas de valor poderá levar a joia para uma avaliação especializada na Caixa, em uma das 466 agências que operam o Penhor em todo o Brasil, e receber o dinheiro na hora. Com taxa de 2,10% a.m., o Penhor da Caixa pode ser renovado quantas vezes o cliente quiser.
O empréstimo poderá chegar até 100% do valor do bem para clientes com conta salário na Caixa e relacionamento com o banco. Depois de quitar o contrato, o cliente recebe seu bem de volta. Para consultar as agências que operam com penhor, acesse o site (www.caixa.gov.br/penhor).

James Bond será exibido em Cuba pela 1ª vez

Roger Moore como James Bond: filmes da saga 007 serão exibidos em Cuba.

Os filmes de James Bond, o espião mais famoso do cinema, serão exibidos em público em Havana, capital de Cuba, pela primeira vez desde que a saga criada por Ian Fleming chegou às telonas, em 1962. Entre os dias 2 e 31 de agosto, a cidade receberá o ciclo de cinema “Meu nome é Bond, James Bond”, que exibirá uma série de produções da saga “007”, agente dos serviços secretos britânicos já interpretado por nomes como Sean Connery, Roger Moore, Pierce Brosnan e, o mais recente, Daniel Craig.
James Bond, com sua frieza frente ao perigo, seu humor ácido e seu desprezo elegante à disciplina britânica, foi um desconhecido em Cuba durante várias décadas, quando suas aventuras tinham como alvo a “ameaça soviética” e buscavam enaltecer os mecanismos da Guerra Fria. No entanto, nos últimos anos, o “gelo” em torno de Bond se quebrou na ilha, e seus filmes passaram a ser mais conhecidos, porém sempre circulando “de mão em mão”, nunca exibidos em salas de cinema.
Connery, um dos mais célebres intérpretes de 007, é bastante admirado no país por seu papel em “A tenda vermelha”, uma rara coprodução entre Itália e União Soviética. Como parte da promoção do ciclo de cinema, a imprensa local até afirma que Bond não é um personagem nascido inteiramente da imaginação de Fleming, já que teria sido inspirado em pessoas que o escritor conheceu durante a Segunda Guerra Mundial, quando trabalhava na inteligência da Marinha do Reino Unido. Desde 1962, já foram lançados 24 filmes do agente secreto, o último deles, “007 Contra Spectre”, em 2015 (ANSA).

Projeto institui política para a produção de café superior

O cultivo de cafés superiores poderá contar com uma política específica, que inclui o crédito rural para a produção, industrialização e comercialização; a pesquisa agrícola e o desenvolvimento tecnológico; a assistência técnica e a extensão rural; o seguro rural; as certificações de origem, social e de qualidade dos produtos. É o que estabelece o projeto que institui a Política Nacional de Incentivo à Produção de Café de Qualidade.
A proposição, que aguarda votação na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, tem o objetivo de elevar o padrão de qualidade do café brasileiro por meio do estímulo à produção, industrialização e comercialização de cafés de categorias superiores, assim considerados os cafés das espécies Coffea arabica e Coffea canephora (conillon ou robusta). Também contempla a capacitação gerencial e a formação de mão de obra qualificada; o associativismo, o cooperativismo e os arranjos produtivos locais; as informações de mercado; e os fóruns, câmaras e conselhos setoriais, públicos e privados.
Entre as ações que deverão ser implementadas na execução da política pelo Conselho Deliberativo da Política do Café (CDPC) e demais órgãos competentes estão a de estabelecer parcerias com entidades públicas e privadas. De autoria do deputado Evair Vieira de Melo (PV-ES), o projeto teve como relator o senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES), favorável à proposição, também encaminhada para análise da Comissão de Agricultura. De acordo com estimativa do Ministério da Agricultura, o Valor Bruto da Produção (VBP) da lavoura de café foi superior a R$ 24 bilhões em 2016, valor 20% superior ao VBP do ano anterior.
O café arábica representa, aproximadamente, 85% da produção total do grão, enquanto a produção do conillon ou robusta representa cerca de 15% do total. Destacam-se os estados de Minas Gerais, maior produtor nacional do grão, com 60% de toda a produção nacional. Os números da produção garantem ao Brasil a posição de maior produtor de café do mundo e, por consequência, de maior exportador, destinando mais de 35 milhões de sacas ao exterior na safra 2015/2016, com uma receita superior a US$ 5 bilhões. Internamente, o Brasil consome cerca de 20 milhões de sacas de café anualmente, o que representa um consumo per capita anual de 4,9 kg (Ag.Senado).