Fiocruz descobre que pernilongo pode transmitir zika

O genoma do vírus Zika, coletado no organismo de mosquitos do gênero Culex, foi sequenciado por cientistas da Fiocruz em Pernambuco.

O genoma do vírus Zika, coletado no organismo de mosquitos do gênero Culex, foi sequenciado por cientistas da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em Pernambuco

Com o sequenciamento, foi descoberto que o vírus consegue alcançar a glândula salivar do animal, o que indicaria, segundo a instituição, que o pernilongo pode ser um dos transmissores do vírus Zika. Os resultados foram publicados ontem (9) na revista Emerging microbes & infections, do grupo Nature. O artigo é intitulado “Zika virus replication in the mosquito Culex quinquefasciatus in Brazil” e pode ser encontrado na íntegra na internet.
Os mosquitos do gênero Culex foram colhidos na Região Metropolitana do Recife, já infectados. A equipe do Departamento de Entomologia da instituição conseguiu, então, comprovar em laboratório que o vírus consegue se replicar dentro do mosquito e chegar até a glândula salivar. Foi fotografado por microscopia eletrônica, também pela primeira vez, a formação de partículas virais do Zika na glândula do inseto.
Também foi comprovada a presença de partículas do vírus na saliva expelida do Culex, coletadas pelos cientistas. De acordo com a Fiocruz, o artigo “demonstra” a possibilidade de transmissão do vírus Zika por meio do pernilongo na cidade. Será analisado agora “o conjunto de suas características fisiológicas e comportamentais, no ambiente natural, para entender o papel e a importância dessa espécie na transmissão do vírus Zika”, como informou a instituição em seu comunicado.
O genoma do zika já havia sido sequenciado em 2016 pelo Departamento de Virologia e Terapia Experimental da Fiocruz Pernambuco, em parceria com pesquisadores da Universidade de Glasgow, mas na ocasião foi usada uma amostra humana. Esse sequenciamento é uma espécie de mapa de cada gene que forma o DNA do vírus. Agora, pela primeira vez no mundo, o mapeamento é feito a partir do mosquito (ABr).

Governadores podem ser processados sem aval de assembleias

STJ não precisa de uma decisão da Assembleia para abrir ação contra o governador.

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu ontem (9) derrubar três normas estaduais que impedem governadores de responder a ações penais sem autorização das assembleias legislativas. No julgamento, o STF entendeu que as normas da Bahia, do Rio Grande do Sul e do Distrito Federal são inconstitucionais por condicionarem a abertura de processo criminal a decisões do Legislativo local.
Em maio, o Supremo anulou normas da Constituição do Acre, da de Mato Grosso e da do Piauí pelos mesmos motivos. Com a decisão, governadores citados em casos de denúncias de corrupção como os da Operação Lava Jato e as delações da JBS e da Odebrecht poderão ser processados pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), tribunal responsável pelo julgamento dos chefes do Executivo estadual.
A Corte também decidiu que o afastamento automático de governadores após abertura de ação penal não pode ser aplicado. O entendimento foi baseado no julgamento em que o Supremo definiu que o STJ não precisa de uma decisão prévia favorável da Assembleia Legislativa de Minas Gerais para abrir ação penal contra o governador do estado, Fernando Pimentel, investigado pela Operação Acrônimo, da Polícia Federal (ABr).

MOTORISTAS COM IPVA ATRASADO

A Secretaria da Fazenda destacou agentes fiscais para orientar motoristas sobre a regularização de débitos de IPVA em blitz da Polícia Militar em todo o Estado. A operação de bloqueio visa identificar veículos que transitam sem licenciamento por conter dívidas do IPVA. As equipes da Fazenda vão alertar os motoristas que é possível quitar ou parcelar os débitos por meio do Programa de Parcelamento de Débitos (PPD).
O PPD permite a regularização de débitos de IPVA inscritos em dívida ativa, vencidos até 31/12/2016. Ao aderir ao programa, o proprietário contatará com descontos em multa e juros, e poderá fazer a quitação à vista ou parcelar em até 18 vezes. As adesões podem ser feitas até o dia 15 de agosto pelo site (www.ppd2017.sp.gov.br).

MAIOR NÚMERO DE DISPAROS DE ARMA DE FOGO

Moradores do Complexo do Alemão ouviram tiros nos arredores de suas casas ao menos 225 vezes entre 5 de julho de 2016 e o mesmo dia de 2017. Os dados foram divulgados ontem (8) pelo aplicativo Fogo Cruzado, que recebe contribuições de usuários e cruza dados divulgados pela imprensa e a polícia para contabilizar ocorrências de violência armada. 
Os dados mostram que o conjunto de favelas é também a área da cidade que registra o maior número de feridos. Os 225 disparos atingiram 87 pessoas e causaram 38 mortes contabilizadas no aplicativo. O Fogo Cruzado registrou 3.829 ocorrências de violência armada na cidade do Rio de Janeiro em 12 meses. Ocorreram, em média, 10 situações desse tipo por dia na cidade.

Desfeito contrato com fornecedora de tornozeleiras eletrônicas

O governo do Estado de São Paulo desfez o contrato de prestação de serviços relacionado ao monitoramento eletrônico de presos em regime semiaberto e com permissão de saídas temporárias, que desde 2016 estava a cargo da empresa Synergye Tecnologia da Informação Ltda. Segundo a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP), a rescisão, publicada ontem (9) no Diário Oficial do Estado de São Paulo, ocorreu por uma série de falhas nas tornozeleiras.
Foram relatados sete defeitos na utilização desses equipamentos: rompimento do lacre sem acionamento de alerta; mau funcionamento dentro de residências; dificuldade de conexão com a operadora (demorava até 40 minutos para ficar ativo); e funcionamento intermitente (chegava a ficar até uma hora sem sinal). Além disso, havia problema com as baterias, com superaquecimento do aparelho e nem todos os aparelhos eram entregues conforme o previsto em contrato. Pelo atual contrato, em vigor desde 2016, a Synergye deverá fornecer até 7 mil tornozeleiras.
De acordo com a SAP, todos os presos em regime de saída temporária e que já saíram com as tornozeleiras, continuam sendo monitorados normalmente como determinado pela Justiça. Também não haverá mudança de tratamento em relação aos que têm direito ao benefício. A empresa fornecedora tem prazo de cinco dias útei para apresentar recurso. Caso a rescisão do contrato seja mantida, a segunda colocada na licitação será convidada a assumir o serviço de monitoramento, obedecendo prazos legais (ABr).

Delegação brasileira para jogos universitários tem 300 pessoas

Universíade 2015 – Cerimônia de Abertura em Gwangju.

O ministro do Esporte, Leonardo Picciani, recebeu ontem (9) alguns dos atletas que participarão da 29ª edição dos jogos universitários de verão Universíade 2017, que acontece no final de agosto em Taipei, na China. Com 10 mil competidores de 170 nacionalidades, a Universíade ocorre de 19 a 30 de agosto. As equipes brasileiras, que totalizam 300 pessoas, entre atletas, técnicos e dirigentes, vão disputar medalhas em cinco modalidades: atletismo, esgrima, natação, saltos ornamentais e taekwondo.
O país ainda participa nas modalidades badminton, ginástica rítmica, wushu, judô, tênis, tênis de mesa, voleibol, futebol e levantamento de peso. No encontro, o ministro desejou sorte aos atletas e destacou a importância do esporte universitário para que novos talentos despontem. “A gente sabe que o Brasil tem toda uma tradição de formação de atletas através de clubes, mas desejamos fortalecer nosso esporte por meio do desporto universitário para, quem sabe, ter, nos próximos anos, as duas matrizes esportivas”, afirmou Picciani.
Segundo o vice-presidente do núcleo da região Nordeste da Confederação Brasileira do Desporto Universitário (CBDU), Flávio Mendonça, 53% dos atletas da delegação brasileira na Rio-2016 jogaram pela CBDU. “Vai uma equipe bastante forte e a expectativa é de representar bem o país e trazer muitas medalhas. Essa é uma delegação recorde, a maior que já viajou para a Universíade”, disse (ABr).

EUA garante segurança em Guam após ameaça de Pyongyang

As autoridades da ilha de Guam, território norte-americano no Oceano Pacífico, anunciaram que o local está seguro e que todos estão preparados para responder a um ataque da Coreia do Norte. De acordo com o governador Eddie Baza, “não existe nenhuma ameaça” contra o território. Ele também garantiu que continuará em contato com comandantes da região, como a almirante Shoshana Chatfield, para discutir eventuais medidas a serem adotadas.
O regime de Pyongyang fez novas ameaças aos Estados Unidos e um porta-voz disse que está sendo “considerada” a hipótese de atacar a ilha de Guam.
Além disso, o “The Washington Post” revelou que a inteligência norte-americana já estaria ciente de que o país asiático teria conseguido miniaturizar uma ogiva nuclear, entrando em uma nova fase de seu programa atômico. A Coreia do Norte tenta, há anos, desenvolver seu programa nuclear e, por conta disso, enfrenta uma série de sanções internacionais. O maior objetivo do regime de Kim Jong-un é atacar os Estados Unidos.
O clima de tensão aumentou desde a posse de Trump, em janeiro. A escalada preocupa os países asiáticos aliados dos EUA, como Japão e Coreia do Sul, mas também a Rússia e a China. Onbtem (9), a Alemanha também fez um apelo para que Washington e Pyongyang mantenham a moderação. “A condição é séria. A via militar neste conflito não leva a uma solução. Pedimos moderação a todas as partes”, disse o porta-voz do ministro das Relações Exteriores, Martin Schaefer (ANSA).

Lei permite ao usuário acumular dados de internet não utilizados

Dados da internet banda larga de celular não utilizados pelo usuário poderão ser acumulados e usados em até dois meses. A proposta foi aprovada ontem (9), na Comissão de Fiscalização e Controle e Defesa do Consumidor do Senado em decisão terminativa. Caso não haja recurso para análise pelo plenário, o texto seguirá direto para a Câmara dos Deputados.
Para o relator, senador Ataides Oliveira (PSDB-TO), a proposta corrige uma distorção em favor dos consumidores, devolvendo a eles o que não foi utilizado, mas que já foi pago. O projeto atualiza a Lei das Telecomunicações, como forma de garantir ao usuário o direito de acumular e usufruir o saldo do volume de dados contratado junto às operadoras. Inicialmente, o texto previa esse uso “a qualquer tempo”, mas o relator acatou a alteração feita na Comissão de Ciência e Tecnologia por acreditar que manter o saldo indefinido traria prejuízos às operadoras (ABr).