Brasil ocupa 25ª posição no ranking de sorrisos no atendimento ao cliente

O vendedor passou a dar especial atenção a detalhes do atendimento.

Qual é o país mais sorridente do mundo? Ao contrário do que muitos possam pensar, a Irlanda lidera esse disputado ranking. Pelo menos no que se refere ao atendimento ao cliente

A 12ª edição da pesquisa Smiling Report – conduzida em 61 países (Ásia, Europa, América do Norte e América do Sul) – mostra que 100% dos atendimentos dos irlandeses têm início com um sorriso. O Brasil aparece na 25ª posição com 84% de atendimentos sorridentes, ficando à frente somente de países como a China, Itália, Japão, Malásia, Coreia do Sul, Croácia e Hong Kong. Conduzida globalmente pela empresa sueca Better Business World Wide, o levantamento é realizado no Brasil pela Shopper Experience, líder em avaliação de atendimento ao consumidor via clientes secretos.
No ranking dos sorrisos, a segunda posição é da Espanha (2), seguida por Suíça (3), Grécia (4), Canadá (5), Islândia (6), Reino Unido (7), Dinamarca (8), Romênia (9), Rússia (10), Bulgária (11), Polônia (12), Alemanha (13), Holanda (14), Portugal (15), República Tcheca (16), Suécia (17), Turquia (18), Estados Unidos (19), Finlândia (20). Na média geral, 83% dos consumidores foram recebidos com um sorriso; 87% foram devidamente cumprimentados; e 56% receberam uma sugestão de produto – a chamada venda adicional.
A análise mostra que a pontuação obtida em 2015, na categoria “sorriso”, é superior à obtida nos anos anteriores; o cumprimento continua com o mesmo nível de pontuação dos últimos dois anos; e vendas adicionais, como em todas as pesquisas anteriores, apresenta uma porcentagem muito inferior aos sorrisos e cumprimentos. Mas, a categoria tem reagido e vem aumentando muito desde o primeiro Smiling Report (2004), quando a pontuação foi de 45%.
Coordenados no Brasil por Stella Kochen Susskind, presidente da Shopper Experience, os resultados do Smiling Report revelam que há muito espaço para melhoria no atendimento. Mas a notícia é boa. Na edição de 2015 – compilada com resultados de atendimentos feitos em 2014 – o Brasil estava na penúltima posição do ranking de sorrisos. “Este ano, estamos na 25ª posição a despeito de toda a crise política e econômica do país. Na minha percepção, o medo de perder o emprego e a escassez de clientes fizeram com que o atendimento melhorasse substancialmente. Na prática, o vendedor e os lojistas passaram a dar especial atenção a detalhes do atendimento; a um conjunto de práticas de conduta que levam à excelência”, afirma a especialista, alertando para pontos de atenção.
No Brasil, dos 22 mil entrevistados pela Shopper Experience, 67% são do Sudeste; 13% do Sul; 12% do Nordeste; 6% do Centro-Oeste; e 2% do Norte. Na análise dos atendimentos iniciados com sorrisos, os índices são: 46% no Sudeste; 33% no Nordeste; 10% no Sul; 6% no Norte ; e 5% de no Centro-Oeste.

Fonte: (www.shopperexperience.com.br).

São Paulo lidera ranking de cidades com potencial de desenvolvimento no país

O eixo de mobilidade e acessibilidade rendeu aos paulistanos o título.

São Paulo foi considerada a cidade brasileira com o maior potencial de desenvolvimento em 2016, em um ranking que avaliou 700 municípios do país. A pesquisa está em sua segunda edição e foi divulgada ontem (7) pelas empresas Urban Systems e Sator, no evento Connected Smart Cities 2016. O estudo analisou 11 setores das cidades a partir de mais de 70 indicadores. Foram avaliados mobilidade e acessibilidade, urbanismo, meio ambiente, tecnologia e inovação, saúde, educação, empreendedorismo, governança, economia, segurança e energia.
No ano passado, o Rio de Janeiro havia ficado com a primeira posição, mas o eixo de mobilidade e acessibilidade rendeu aos paulistanos o título deste ano. Pesou para essa avaliação a implantação de 150 km de ciclovias em 2015, além da reserva de 460 km de faixas exclusivas para ônibus. A diretora executiva da Sator, Paula Faria, explicou que São Paulo se destaca na mobilidade por ter um histórico de investimentos no setor, que ultrapassa uma única gestão.
São Paulo foi considerada ainda a melhor cidade em tecnologia e inovação. O estudo destaca que a capital tem boa oferta de infraestrutura de comunicação e fica à frente das demais no número de patentes registradas e no valor financiado em bolsas de pesquisa. A lista das dez primeiras colocadas continua com Curitiba, Brasília, Belo Horizonte, Vitória, Florianópolis, Barueri, Recife e Campinas. Vitória foi a mais bem avaliada em saúde e educação, Belo Horizonte foi a primeira em meio ambiente, e Curitiba teve a melhor governança e o melhor urbanismo. Apesar de não ter atingido as dez primeiras posições no ranking geral, a pernambucana Ipojuca ficou em primeiro lugar na segurança. Já a paranaense Guarapuava foi a mais bem posicionada em energia (ABr).

Porte de arma para mais cinco categorias profissionais

O direito ao porte de arma, já autorizado em lei para auditores fiscais da Receita e auditores do trabalho, poderá ser concedido também para mais cinco categorias profissionais: oficiais de justiça, peritos médicos do INSS, auditores tributários dos estados, avaliadores do Judiciário e defensores públicos. A medida é prevista em projeto aprovado ontem (8) pela Comissão de Direitos Humanos do Senado. Agora a proposta do ex-deputado Nelson Pelegrino será examinada na Comissão de Defesa Nacional, antes da decisão final em Plenário.
O relator, senador José Medeiros (PSD-MT), reconheceu a necessidade de porte de armas de fogo por membros das carreiras indicadas na proposição. O motivo seria o risco de sofrerem retaliações de pessoas que se sentem prejudicadas pela natureza das decisões associadas ao trabalho que executam. No caso dos auditores tributários, a extensão do porte de arma, de acordo com o relator, deverá contribuir para evitar atos de violência cometidos por fiscalizados.
Medeiros afirmou que os oficiais de justiça estão igualmente expostos a condições de periculosidade no desempenho de suas funções. Destacou ainda que os peritos médicos da Previdência Social, avaliadores judiciais e defensores públicos também desempenham funções que os colocam em situação de risco, uma vez que podem contrariar interesses e, assim, tornarem-se vítimas de agressões (Ag.Senado).

Papa defende vinho e diz que não se pode fazer festa com chá

Papa Francisco abençoa uma taça de vinho durante uma missa no Vaticano.

Depois de saudar casais que celebram 50 anos de matrimônio, o papa Francisco disse ontem (8) que “não se pode encerrar uma festa de casamento bebendo chá”. “Seria uma vergonha. O vinho é necessário para uma festa”, afirmou o líder da Igreja Católica na tradicional audiência geral, no Vaticano, diante de 20 mil fiéis que lotaram a Praça São Pedro.
Francisco também elogiou os casais que estão há meio século juntos e ressaltou que eles são exemplos para os jovens. “Esse sim é que é o vinho bom da família, o vosso é um testemunho que os jovens casais devem aprender. Obrigado pelo vosso testemunho”, comentou. Durante seu discurso na audiência geral, o Papa também recordou trechos do Evangelho e falou sobre o primeiro sinal de misericórdia de Jesus nas bodas de Caná e sobre a transformação da água em vinho, seu primeiro milagre.
“Indica a transformação da antiga Lei de Moisés no Evangelho portador da alegria”, disse Francisco. “Em Caná os discípulos de Jesus se tornam a sua família e nasce a fé da Igreja. Àquelas núpcias todos nós somos convidados, para que o vinho novo não venha mais a faltar”, comentou (ANSA).

Japonês da Federal é preso em Curitiba

Newton Ishii, conhecido popularmente como Japonês da Federal.

A Polícia Federal (PF) prendeu, em Curitiba, o policial federal Newton Ishii, conhecido popularmente como Japonês da Federal, que ficou conhecido ao conduzir presos da Operação Lava Jato. Ele está detido na Superintendência da PF para cumprir mandado expedido pela Vara de Execução Penal da Justiça Federal de Foz do Iguaçu. Ele foi condenado a quatro anos e três meses de prisão em virtude da Operação Sucuri, deflagrada em 2003, que investigava o envolvimento de 19 agentes na entrada de contrabando no país através da fronteira com o Paraguai.
A defesa do Japonês da Federal chegou a recorrer da condenação, mas o STJ negou o recurso na semana passada. A partir da Operação Sucuri, foram abertos três processos contra Newton, um na esfera criminal, outro administrativo e um terceiro por improbidade administrativa. Eles tramitam sob segredo de justiça. A ABr entrou em contato com o escritório do advogado Oswaldo Loureiro de Mello Júnior, que defende o Japonês da Federal e outros 14 réus da operação, mas o criminalista não retornou as ligações.
O policial federal Newton Ishii foi citado durante conversa gravada entre o ex-senador Delcídio do Amaral; o filho de Nestor Cerveró, Bernardo Cerveró; e o advogado Edson Ribeiro. O diálogo foi divulgado em novembro e levou à prisão de Delcídio. Na conversa, o ex-senador se refere ao agente federal como “policial bonzinho”. Em seguida, Edson afirma que “o japonês” seria o carcereiro da PF responsável pelo vazamento de informações sigilosas da Operação Lava Jato para a imprensa. Minutos depois, o advogado chega a citar o nome de Newton (ABr).