Lançamento

O Vanguart acabou de lançar seu quarto álbum de estúdio, “Beijo Estranho” (Deck), disponível no formato digital e nas lojas (CD e LP)

Divulgação

O novo trabalho mostra maior pluralidade dentro do próprio cancioneiro da banda, abrindo um leque poético e musical. No repertório do show estão as 11 canções inéditas do disco, assinadas por Reginaldo Lincoln (voz e baixo) e Helio Flanders (voz, violão e piano). A sonoridade mais elaborada transita por acid rock (“Beijo Estranho”, folks à la Smiths (“Eu Preciso de Você” e “Felicidades”), hippie-glam (“Todas As Cores”) e até os contornos soturnos da noite paulistana em “Quando Eu Cheguei Na Cidade”. O Vanguart, formado por Reginaldo, Helio, David Dafré (guitarras e bandolins) e Fernanda Kostchak (violinos), sobe ao palco acompanhado do tecladista Julio Nganga, do baterista Loco Sosa e de um quarteto de cordas.

Serviço: Estúdio, Av. Pedroso de Moraes, 1036, Pinheiros. Sábado (22) às 17h. Ingressos: Pista: R$ 80 e R$ 40 (meia), Pista Premium: R$ 160 e R$ 80 (meia). Doando 1kg de alimento não perecível paga meia entrada.

REFLEXÃO

Mundo moderno
“No mundo moderno, estamos condicionados a nos compararmos com os outros. Assim como vemos, comparamos; assim como comparamos, desejamos. E, como desejamos, perdemos a habilidade de sermos contentes com o que somos e temos. Que tal dar um fim a esse hábito da comparação? Para isso, tenha em mente que: você é singular, único, e é impossível ser igual a outro alguém. Lembre-se, ainda, que a sua vida é um presente e uma oportunidade de criar o seu próprio caminho e de moldar o seu destino. E pra completar, não esqueça que você já tem o que precisa.”
Brahma Kumaris.

Brincadeiras

brincadeiras temproario

Espetáculo infantil “5 dançadeiras... Peiras Meiras Dimofeiras Seracoteiras” criado do diálogo da dança com a música ao vivo e as artes visuais, 5 dançadeiras contam as histórias sobre um caminho para casa, onde os personagens divertem-se jogando amarelinha e pião, sonhando explorar o fundo do mar e lançar o corpo como peteca no ar. Em cena, o corpo artístico risca e escava o solo em meio a brinquedos, cenários e figurinos que são ressignificados a cada quadro, numa grande brincadeira dançanda, tocada e cantanda. Com Gisele Penafieri, Lívia Imperio, Lia Mandelsberg, Nô Stopa, Flora Poppovic. Elenco suplente: Cristina Bosch e Rita Maria. Direção cênica: Elizabeth Menezes.

Serviço: Sesc Belenzinho, R. Padre Adelino, 1000, tel. 2076-9700. Sábado (22) e domingo (23) às 17h. Entrada franca.

Música latina

As diversas sonoridades da América Latina em um encontro inédito entre as bandas Francisco, el Hombre (Brasil/México) e Cuatro Pesos de Propina (Uruguai). Do lado brasileiro, a Francisco apresenta o repertório do Soltasbruxa, e do lado platense, Cuatro Pesos interpreta os clássicos da banda reeditados no álbum/DVD Muerto, pero Vivo. Ska, rock, MPB e ritmos populares latino-americanos estão em um repertório dançante, resultado do intercâmbio artístico entre os dois grupos reconhecidos na América Latina por suas fusões de ritmos e gêneros.

Serviço: Sesc Belenzinho, R. Padre Adelino, 1000. Belenzinho, tel. 2076-9700. Sexta (21) às 21h30. Ingressos: R$ 20 e 10 (meia).

Conversa de samba

Leci Brandão foi a primeira mulher a participar da ala de compositores da Mangueira.

A sambista e compositora Leci Brandão convida para um bate-papo afetivo, descontraído e musical conduzido pelo pesquisador e diretor artístico Marcus Preto. O maior sucesso da carreira de Leci Brandão, a música “Zé do Caroço”, composta por ela, é uma história verídica. De tom engajado, a letra retrata o nascimento de um líder comunitário que batalha e “que malha o preço da feira” para ganhar a vida. A composição tem a cara da artista já que sempre foi ligada à cultura popular e às causas sociais. “Zé do Caroço” é a canção mais regravada e executada da artista.

Serviço: Caixa Cultural São Paulo, Praça da Sé, 111, Centro, tel. 3321-4400. Quarta (02/08) às 19h15. Entrada franca.

Achados

A exposição Relíquias do artista multimídia Luiz Martins foi montada na forma de site-specific. A mostra é composta por 15 obras, esculturas e desenhos e revela as inúmeras camadas de pesquisa e experimentação desenvolvidas pelo artista em seu ateliê, revisitando sua trajetória e propondo ao público uma relação gradual de descoberta de seu trabalho. Ao apresentar peças em diversos formatos, como se fossem verdadeiros achados arqueológicos, o intuito de Luiz Martins é aproximar sua produção do espectador, desvendando na riqueza de detalhes suas propriedades mais particulares.

Serviço: Verve Galeria, R. Lisboa, 285, Jardim Paulista, São Paulo, tel. 2737-1249. De terça a sexta das 10 às 19h e aos sábados das 11 às 17h. Entradafranca. Até19/08.