No conceito de loja do futuro, mobilidade é a palavra do presente

Agilizar o atendimento na loja por meio de um aplicativo no qual o vendedor consulta estoque e cadastra clientes

ONDV temproario

Márcio Nunes (*)

Realizar e finalizar vendas de qualquer parte do estabelecimento comercial utilizando um dispositivo móvel, sem passar pelo caixa. Efetuar a venda de produtos da loja virtual dentro da loja física, podendo o cliente ainda receber as compras em sua própria residência. Essas são algumas funcionalidades que mais se assemelham às de uma loja futurista, mas já estão nas mãos de varejistas para mudar a relação destes com seus consumidores.

A loja do futuro, uma realidade sem sombra de dúvida, é movida pela tecnologia das soluções móveis, integração entre os mundos virtual e físico e pela experiência da compra interativa feita pelos clientes. Bom para os consumidores, que têm à disposição recursos que não os deixam na mão e o ajudam a adquirir seu produto ou serviço mais rapidamente. Bom para os lojistas, que ganham um aliado estratégico para movimentar seu negócio.

Não importa se o varejista optou pela plataforma multicanal ou não. Ele precisa estar consciente de que, tanto do lado da oferta quanto da demanda, o aspecto da mobilidade precisa ser levado em consideração para a expansão do negócio. Com smartphones ou tablets, os clientes são atendidos de forma rápida e personalizada, sem filas e com muito mais interação com a variedade de produtos oferecidos na loja física ou virtual.

Existem tecnologias de gestão à disposição do varejo que encurtam esse espaço entre o presente e o futuro. São exemplos: o Linx Fast Pass, solução que permite ao vendedor consultar o estoque e enviar a pré-venda par o PDV; o Linx Mob Checkout, aplicativo que realiza e finaliza vendas de qualquer parte da loja utilizando um dispositivo móvel; e o Linx Showroomer, que faz a venda de mercadorias da loja virtual (e-commerce) dentro da loja física, permitindo ao cliente receber as compras em casa sem passar pelo caixa. Juntas ou separadas, tais soluções móveis geram mais valor para a marca e proporcionam uma experiência de compra diferenciada para o consumidor. Com elas, o varejista consegue ter mais flexibilidade, com diminuição na ruptura de vendas, e maior rapidez no atendimento ao cliente, com redução de filas, por exemplo.

Trata-se de uma tendência sem volta. Acredita-se que, em pouco tempo, este será o padrão de atendimento utilizado pelo varejo no país. Os varejistas que não adotarem a mobilidade como uma oportunidade para vender mais e oferecer uma experiência de compra diferenciada, tendem a perder vendas e não cativar os clientes que podem encontrar facilidades em outras marcas.

(*) É diretor do segmento de Mobilidade da Linx, empresa líder em tecnologia de gestão para o varejo.


Primeiro serviço de morte digital do Brasil

Lançado oficialmente pela startup WebTech Brasil, o site Morte Digital é voltado para quem deseja pôr fim à presença digital de usuários falecidos. “Muitas vezes, é doloroso ter que topar com aquelas lembranças que saltam aos nossos olhos com frequência. Vejo casos de pessoas que já se foram e ficam online na minha lista de contatos no Skype, por exemplo. Nosso papel é, primeiramente, contribuir com a comunicação da família e amigos sobre o falecimento de alguém, compartilhando nas redes. Num segundo momento, vamos auxiliar no processo para que haja a exclusão das contas, podendo também realizar um backup das informações pessoais ali presentes”, adianta.
O tema é delicado, como o próprio criador das soluções reconhece. “Sabemos que há famílias que preferem manter tudo configurado como o falecido deixou, com receio de cometer um assassinato da vida de alguém querido, mesmo que virtualmente. Entretanto, sabemos que outras tantas preferem preservar as melhores lembranças sem que haja o desgaste emocional de ter que fazer tudo para encerrar contas ou ficar observando – ou até manipulando – perfis de seus entes. Ao contrário da morte real, a morte dogital não ocorre naturalmente”, ressalta.
Em paralelo ao Morte Digital, a empresa também lançou o site Nota de Falecimento, que permite às pessoas publicarem uma comunicação de falecimento de um parente ou amigo. Além de ser replicado nas redes sociais, fica registrado em um banco de dados público. “Por segurança, é necessário enviar cópia da certidão ou atestado de óbito. Após recebimento e validação do documento pela nossa equipe, a publicação fica liberada”, explica Furlan (www.mortedigital.com.br) e (www.notadefalecimento.org).


Tablet desenvolvido especialmente para criança

FOTO TABLET TAB KIDS 300dpi alta temproario

A DL, fabricante nacional de eletrônicos, lança o TabKids, tablet desenvolvido especialmente para crianças. A novidade já vem com diversos aplicativos instalados para auxiliar no aprendizado e alfabetização das crianças. O gadget está disponível nas principais redes varejistas do país com preço sugerido de R$ 399,90

Rodando com sistema operacional Android 4.4, possui processador Quad-Core de 1,2GHZ, memória RAM de 512MB e interna de 8GB. Para facilitar o manuseio do produto pelas crianças o aparelho possui capa protetora de silicone, fazendo com que sua utilização seja mais confortável e proteja contra riscos e arranhões. Sem a utilização da capa o gadget tem um design Premium, podendo ser utilizado pelos pais.

Conta com tela de 7 polegadas capacitiva de alta sensibilidade e de alta resolução, o tablet permite a exibição de vídeos, fotos e roda jogos em melhor qualidade. Além disso, conta com bateria de longa duração, possibilitando que as crianças utilizem o produto por até 5 horas sem precisar de uma nova carga.

A novidade possui duas câmeras digitais integradas, suporte para cartão de memória microSD de até 32GB e conexão micro USB para computador e pendrive. A conexão a internet fica por conta da rede wi-fi padrão IEEE802.11b/g e N.

O aparelho já vem embarcado com dezenas de aplicativos e conta com a opção de baixar e instalar mais de 1 milhão de apps por meio da loja virtual Google Play (www.dl.com.br).

Black Friday é última oportunidade antes dos aumentos de impostos

Patrick Nogueira (*)

O Brasil está em crise econômica. Isso todos nós já sabemos e temos vivenciado. Se não bastasse isso, a previsão ainda é que em breve teremos também o aumento de impostos

Segundo estudo apresentado recentemente pelo Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), a mudança na cobrança do PIS e do Cofins irá elevar em cerca de 5% a tributação de empresas prestadoras de serviços e computadores e smartphones. Em termos mais práticos, as empresas passarão a pagar mais impostos e, consequentemente, aumentarão o valor de seus produtos e serviços para o consumidor.
A nova medida passa a valor em 1º de dezembro, ou seja, apenas 3 dias após uma das datas que mais movimenta o e-commerce nacional, a Black Friday. Diante disso, fica claro que o evento, que promove promoções e descontos em produtos nas lojas online, se torna a grande aposta para o consumidor.
Com isso cresce também o número de “problemas” que o consumidor pode encontrar pelo caminho. Para facilitar e ajudar esses clientes a realizar uma compra de forma consciente, listei abaixo cinco dicas importantes para aproveitar a Black Friday:

1. Tenha foco e paciência
Não adianta querer comprar tudo durante a Black Friday. Como dissemos acima, o momento é de cautela econômica, portanto o mais importante é lembrar que é preciso selecionar aqueles produtos que você está realmente de olho para não fugir muito do orçamento e aumentar as dívidas no final do ano. Além disso, produtos considerados mais populares acabam saindo rápido, portanto o ideal é pesquisar quais lojas virtuais estarão disponibilizando o objeto. A diferença de preços, valor dos fretes e o tempo que o produto levará para chegar na sua casa também são importantes e podem evitar transtorno e frustração.

2. Pesquise o produto antes da Black Friday
Muitas lojas virtuais divulgam, por meio de uma newsletter, os produtos que estarão com descontos durante a Black Friday. Vale a pena se cadastrar nos sites participantes antes do evento, acompanhar os preços e, na Black Friday analisar melhor o que você irá comprar para saber se estão valendo a pena ou não. Atualmente, existem plataformas e plugins que mostram em tempo real se a compra é vantajosa, além de todas as lojas estão com promoção no mesmo produto e seus valores, ajudando os consumidores fazerem uma melhor escolha para o produto desejado.

3. Conheça os sites que são recomendados
Para não ter dor de cabeça é importante saber quais são os sites que não são recomendados para a compra online. O Procon divulgou uma lista dos sites não confiáveis para ajudar na hora da busca. Como todo mundo quer aproveitar o momento, é normal o aumento dos oportunistas na Black Friday, já que a data é bem disputada, principalmente porque os usuários buscam fazer compras em maior fluxo. A melhor opção é buscar produtos nos sites com melhores recomendações e que ofereçam a entrega dentro do prazo, garantindo as condições do produto.

4. Esteja por dentro do horário das promoções
É importante saber o horário certo que as promoções estarão disponíveis. Quase todos os sites liberam as promoções em horários próximos, mas vale a pena conferir para não correr o risco de ficar sem determinado produto ou até mesmo de ter que brigar com outras milhares de pessoas, ou ainda, ter contratempo com o servidor do site que pode ficar congestionado e indisponível. Tudo pode acontecer durante a Black Friday, mas alguns imprevistos podem ser evitados.

5. Fique atento com as irregularidades, denuncie!
A cada ano é possível encontrar irregularidades, por isso, é importante que os usuários que as encontrem, denunciem. No site Reclame Aqui é possível encontrar um espaço especialmente dedicado para a Black Friday que serve exatamente para que os consumidores relatem sua experiência, e se houve algum problema durante a compra. Esse site é também importante para os varejistas, pois caso tenha ocorrido algum problema no servidor da loja ou algum produto esgotou no estoque mais rápido, eles podem reparar tais problemas e se preparar melhor para a próxima Black Friday.

Em tempos de crise, é preciso ficar atento a todos os detalhes e medidas do governo que podem impactar diretamente o bolso do consumidor. Acredito que com essas dicas seja possível aproveitar a Black Friday com calma, além de economizar, adiantar as compras de Natal e, claro, fugir dos novos impostos.

(*) É fundador do Baixou, startup do Espírito Santo especializada em ferramentas online que monitoram a variação de preço de mais de 3 milhões de produtos, em todo varejo nacional.