ISSN: 2595-8410 Contato: (11) 3043-4171

Livro explora os antagonismos do maior militar do século 20

“O General Estadista – Douglas MacArthur e o Século Americano” destaca as nuances das ações do general

20190418 Fuzileiros macarthur temproario

O general Douglas MacArthur em 1945.  Foto: Reprodução / Douglas MacArthur – O General Estadista

 

Larissa Santos/Jornal da USP

Cada nação tem seus ídolos – pessoas que, por seus feitos militares, atléticos ou políticos, abraçaram valores que moldam os princípios de um povo. Ainda que produções culturais não consigam reviver esses personagens em sua forma mais complexa, o estudo e a pesquisa da história podem propor quadros nítidos de suas ações. É o caso do livro O General Estadista – Douglas MacArthur e o Século Americano, de Sean Purdy, professor do Departamento de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, que reconstrói o “mito” Douglas MacArthur em sua forma mais real. A obra integra a Coleção Entr(H)istória, que publica trabalhos de professores e alunos do Programa de Pós-Graduação em História Social da FFLCH, através da Editora Intermeios.

Para desvendar o general estadista, o professor Sean Purdy mergulhou nos registros sobre a vida de MacArthur. Documentos oficiais, escritos do próprio general, memórias de seus oficiais e artigos foram a base primária da pesquisa. Mas, para entender um oficial do século 20, é necessário entender o país onde ele está inserido. Por isso, o contexto norte-americano, em meio às duas Guerras Mundiais e à Guerra Fria, é objeto de estudo secundário da obra. Assim, a pesquisa se amplia para revistas, biografias e artigos que discutem espaço, tempo e cenário em que MacArthur atuou.

Douglas MacArthur nasceu para fazer carreira militar, literalmente. Filho do herói da Guerra de Secessão (1861-1865) Arthur MacArthur Jr., ele nasceu em 26 de janeiro de 1880, na base militar de Little Rock, no Arkansas, nos Estados Unidos, onde o pai era capitão de infantaria. Os relatos de MacArthur contam a forte influência de seus pais para que seguisse os passos da família. Mudando constantemente de casa devido ao fato de o pai ser designado para diferentes postos, MacArthur frequentou escolas militares pelos Estados Unidos, onde começou a trilhar uma carreira de destaque.

Ele se formou em 1903 na Academia Militar dos Estados Unidos, de West Point, com notas máximas em disciplinas acadêmicas, ocupando o pódio dos melhores alunos da história do colégio. Começa então uma carreira sinuosa, em que MacArthur demonstra genialidade em manusear seu talento militar, sua rede de contatos e sua habilidade como figura pública.

20190418 Estatua MacArthur-960x600 temproario

Primeira: Brigadeiro-General MacArthur, Château St. Benoit, França, 19 de setembro de 1918. Segunda: Chefe do Estadi-Maior, Douglas MacArthurm 1932. Terceira: Estátua de MacArthur na entrada do MacArthur Memorial, Norfolk, Virginia, 1996. Fotos: Reprodução / “Douglas MacArthur – O General Estadista”

Antes de enfrentar campos de batalha e treinar soldados, MacArthur trabalhou na capital norte-americana, Washington, onde aprendeu bem o jogo político. Atuando ao lado do presidente americano Woodrow Wilson, foi o primeiro porta-voz das Forças Armadas, em 1916. Em meio à Primeira Guerra Mundial, ele precisava defender, ou melhor, vender para o público e para a mídia a importância do alistamento obrigatório no períodos de guerra. No cargo, MacArthur caiu nas graças de jornalistas e de seus superiores, por executar bem sua tarefa.
Alguns episódios militares são fundamentais para entender sua carreira, como sua atuação na França, entre 1918 e 1919, e o período em que atuou como marechal do exército filipino, entre 1935 e 1941.

O debute em confronto armado de MacArthur se deu em Lunéville, na França, no início de 1918. No posto de brigadeiro-general, segundo no comando da Divisão 42, formada e treinada por MacArthur, o militar começa a demonstrar sua personalidade em campo. “Foi na Primeira Guerra Mundial que MacArthur desenvolveu um complexo paranoico, culpando colegas ‘inimigos’ pelos obstáculos enfrentados nas suas operações militares e na sua carreira”, analisa Sean Purdy.

O comandante ainda usava de excentricidades para se destacar, como o uso de uniformes “não-ortodoxos”, táticas de guerra individualistas e até mesmo ofuscar companheiros de comando, atribuindo para si toda a glória de uma conquista. Estratégias ofensivas, com manobras flexíveis de infantaria, foram efetivas para vitórias de prestígio, ainda que custassem a vida de milhares de soldados americanos, ao mesmo tempo em que lhe renderam popularidade dentro e fora das Forças Armadas.

 20190418 Fuzileiros macarthur temproario

Fuzileiros navais norte-americanos, nas Ilhas Solomão, em janeiro de 1944. Esses soldados foram essenciais para a tomada de ilhas durante as campanhas no Pacífico durante a Segunda Guerra Mundial. Foto: Reprodução / “Douglas MacArthur – O General Estadista”

O seu desempenho na França rendeu frutos no futuro. “Esse sucesso foi crucial para a carreira de MacArthur e o ajudou a chegar ao cargo de chefe do Estado-Maior uma década depois”, aponta Sean Purdy. Seu mandato foi controverso, sendo chamado de “tirano” pela mídia, por esmagar uma manifestação de 40 mil veteranos de guerra, com gás lacrimogêneo e tanques de guerra.

Após seu mandato no cargo militar mais alto dos Estados Unidos, foi enviado para as Filipinas, como marechal do exército filipino, por seis anos. Nesse período, o historiador destaca inúmeras “rivalidades pessoais e profissionais” entre o marechal e outros oficiais.

MacArthur era levado por interesses pessoais, poder e privilégios. Sobre as várias cartas que enviou para Washington, exagerando o progresso de seu exército, Sean Purdy faz menção ao historiador Richard Frank, para quem era comum o general “anunciar o estado de coisas que ele desejava, ao invés de como eram”.

Na primeira metade do século 20, a figura militar tinha forte atuação política. A experiência militar era essencial para uma carreira no governo, assim como contatos e vínculos políticos eram fundamentais para uma ascensão militar. Por isso é impossível entender MacArthur sem entender o governo americano.

“Ao longo do livro, há uma tentativa de colocar MacArthur dentro de contextos históricos particulares para mostrar sua atuação frente a forças históricas mais amplas, em especial a expansão do capitalismo e imperialismo norte-americano”, explica Purdy sobre sua obra.

O-General-Estadista MacArthur-216x300 temproarioPor isso, decisões militares, estratégias e até o narcisismo de MacArthur são discutidos do ponto de vista histórico. Como mostra Purdy, o patriotismo e o heroísmo em frentes de batalha, as táticas de guerra infalíveis e a defesa dos ideais americanos classificam o general como um protagonista bem-intencionado. Por outro lado, os muitos desentendimentos com superiores, declarações mentirosas, atitudes sinuosas e excentricidades demonstram sua personalidade egoísta e ambiciosa.

Purdy desmonta a imagem maniqueísta do militar vilão ou herói, e põe lado a lado em sua narrativa atitudes e motivações na carreira militar, política e até mesmo como homem. Além disso, por entendê-lo sob a ótica de ser o produto do contexto em que vive, a figura de MacArthur se expande e se torna um elemento integrador de um mundo em guerra.

Mais artigos...

  1. Microchip tem “mil e uma utilidades” na saúde e produção de energia
  2. Recessão, má gestão e comércio eletrônico afetam a venda de livros
  3. Respeito ao limite de cargas pode aumentar em até seis meses vida útil de rodovia
  4. Dança e Direitos Humanos
  5. Cadastro Positivo: o que muda para o consumidor?
  6. Em 100 dias, Bolsonaro volta atenções para política externa
  7. Casas sustentáveis são a tendência do futuro
  8. Há 100 anos, Epitacio se elegeu presidente sem estar no Brasil
  9. Cartografia é saída para indenizar pesca informal no Rio Doce
  10. Propostas buscam amenizar efeitos do clima
  11. Pesquisa indica peixes que podem ser consumidos por brasileiros
  12. Pesca fantasma ameaça quase 70 mil animais marinhos por dia no Brasil
  13. Pesquisador desenvolve roupas inteligentes inspiradas em livros de ficção científica
  14. Brasil não sabe quem são os moradores de rua
  15. Roteiro leva turistas pelos passos de Leonardo da Vinci
  16. Orixá Exu tem sua imagem desmistificada como ser do mal e assustador
  17. Aprendizagem profissional ainda é subutilizada no Brasil
  18. Forçados ao batismo, descendentes de muçulmanos lutaram para preservar cultura
  19. País mantém desde 2011 diferença de aprendizagem entre ricos e pobres
  20. Confiança do Consumidor registra 49 pontos em fevereiro, apontam CNDL/SPC Brasil
  21. Falta saneamento básico para 2 bilhões de pessoas no mundo, diz ONU
  22. Estudo vai analisar alimentação e nutrição de crianças no Brasil
  23. Campos do Jordão: epidemia de tuberculose deu origem à cidade sanatório que hoje é destino turístico
  24. Mandante é questão para 2ª fase do caso Marielle, dizem autoridades
  25. Poluição de Manaus altera funcionamento do ecossistema amazônico
  26. Bexiga, história viva das origens da cidade de São Paulo
  27. Ação do Senado a favor das mulheres vai além das leis
  28. Mulher ganha em média 79,5% do salário do homem, diz IBGE
  29. 8 de março Dia Internacional da Mulher
  30. “É importante que as pessoas não esqueçam o que aconteceu”
  31. Morte do Barão do Rio Branco fez Brasil ter dois carnavais em 1912
  32. Mangueira conta história do Brasil pela ótica dos heróis populares
  33. Rio Paraopeba tem nível de metais 600 vezes maior que o permitido
  34. Beija-Flor vai recriar seus 70 anos com fábulas na avenida
  35. Mudança climática em curso pode alterar interação ecológica entre espécies
  36. Cientistas e cartunistas se unem para divulgar ciência em quadrinhos
  37. Procuradora diz que jovens atletas são tratados como "commodities"
  38. “Navios Iluminados”, fugidios cenários de ilusão
  39. Governo determina medidas de precaução para barragens em todo o país
  40. Agricultores familiares debatem importância da semente crioula
  41. Investigações sobre caso Marielle completam 11 meses sem conclusão
  42. Pesquisa: 5,6 milhões de brasileiras não vão ao ginecologista
  43. Especialistas associam reforma da Previdência a equilíbrio fiscal
  44. Trabalho escravo tem relação com informalidade e desemprego
  45. Amor ao carnaval e determinação impulsionam escolas mirins no Rio
  46. ESPM inaugura campus para educação executiva no Itaim Bibi
  47. Cães de centros urbanos também estão suscetíveis à leptospirose
  48. Em 4 anos, todos os terminais do país estarão sob controle da iniciativa privada
  49. Confira as maiores tragédias ambientais no Brasil e no mundo
  50. Busca por doenças raras
  51. Na saúde, governo deve enfrentar desafio de financiar o SUS
  52. Nova proposta de Previdência faz executivos repensarem aposentadoria
  53. Como o “Trem das Onze” impactou expansão metropolitana de São Paulo
  54. Especialistas veem com cautela limite de mensagens no WhatsApp
  55. Descoberta molécula que pode aperfeiçoar tratamento da insuficiência cardíaca
  56. Relação entre cintura e estatura pode indicar risco cardiovascular
  57. Relatório da Human Rights Watch diz que Brasil bateu recorde de mortes violentas em 2017
  58. Lesão no treino físico não leva a aumento de massa muscular
  59. Estagnada em 2018, pecuária de leite deve crescer este ano
  60. 6 em cada 10 brasileiros já receberam um diagnóstico de transtorno mental
  61. Esporte: um direito do cidadão ou ópio do povo?
  62. Avatar é usado por surdos em sala de aula
  63. Especialista indica as profissões que estarão em evidência em 2019
  64. Senado preserva os livros que registram posses presidenciais desde 1891
  65. O destino dos mamíferos após a extinção dos dinossauros
  66. Tribunais produzem vídeos para estimular adoção de crianças e adolescentes
  67. Novo governo terá R$ 3,38 trilhões para administrar em 2019
  68. O ano em que Cristiano Ronaldo abraçou a Juventus
  69. O ano que a prisão de Lula derrotou o PT
  70. Polarização e fake news marcaram eleições no Brasil
  71. Uma desnecessária operação de guerra
  72. Número de usuários de internet cresce 10 milhões em um ano no Brasil
  73. 60% dos brasileiros que economizam escolhem a poupança para guardar dinheiro
  74. Novo Mais Médicos enfrenta velhos problemas
  75. Eram os deuses jornaleiros?
  76. Mais de um século e meio depois, guerra ainda é ferida aberta no Paraguai
  77. Reforma trabalhista formalizou mais empregos, mas continua contestada
  78. Dependência econômica e fé se misturam em Abadiânia, em Goiás
  79. Professor da USP conta suas memórias da época do AI-5
  80. Senado busca desburocratizar serviços públicos
  81. Assassinato de Chico Mendes faz 30 anos
  82. Como o brasileiro vê o cumprimento das leis
  83. Ipea: 23% dos jovens brasileiros não trabalham e nem estudam
  84. “Internet dos animais” entrará em operação em 2019
  85. Divórcio demorou a chegar no Brasil_01
  86. Chesf inicia estudo com painéis solares em reservatório de Sobradinho
  87. Comércio, clima e trabalho são prioridades do Brasil na Cúpula do G20
  88. Em busca do trem perdido
  89. Geração nem-nem já soma 11 milhões de jovens no País
  90. Tratamento com fitoterápicos aumenta na rede pública de saúde
  91. Atual modelo hospitalar deixa saúde cara e não inibe erros
  92. Brasil começa a levar imigrantes para o interior
  93. Biodiversidade é estratégica para o desenvolvimento do Brasil
  94. Brasil já teve 2 presidentes militares eleitos nas urnas
  95. Tecnologia poderá ajudar na implantação do novo Ensino Médio
  96. Inadimplência atinge 62 milhões de brasileiros e afeta 3% do crédito
  97. Encerrada há um século, Primeira Guerra extinguiu impérios
  98. Estigmas e tabus: por que o câncer de ontem não é o mesmo de hoje
  99. ONG oferece assessoria a empreendedores no Brasil
  100. Ministros do STF defendem necessidade de reforma política

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171